Justiça vai analisar sanidade mental de mulher que matou e mutilou a filha

Ministério Público requereu a internação da mulher em um hospital psiquiátrico.

O destino da mulher acusada de matar e mutilar a filha, de 5 anos, Brenda Carollyne Pereira da Silva, na cidade de Maravilha, no Sertão alagoano, vai depender de um laudo de saúde mental. A Polícia Civil investiga os detalhes deste crime bárbaro, tipificado como Homicídio Qualificado, já que foi cometido com requintes de crueldade, mas caberá à Justiça analisar se a mulher agiu de forma consciente ou se estava em surto. LEIA MAIS AQUI.

No final da manhã de hoje a pela Polícia Civil de Alagoas divulgou um vídeo do delegado regional de Santana do Ipanema, Hugo Leonardo, explicando que a mulher foi presa em flagrante pelo delegado Valter Cunha, plantonista da Delegacia Regional de Delmiro Gouveia, mas o inquérito terá continuidade e será concluído pelo delegado de Maravilha, Diego Nunes. “A partir daí a questão da sanidade, ou não, mental da acusada vai ser analisado pelo Poder Judiciário e sim, concluir por essa questão psiquiátrica da autora”, ressaltou Hugo Leonardo.

Também nesta tarde, o promotor de justiça de Maravilha, Kleytione Pereira Sousa, disse que não vai pedir a prisão preventiva da acusada. “Considerando a periculosidade e a gravidade do crime, manifestou-se pela pelo internação no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, bem como requereu a instauração de um incidente de insanidade mental para verificar se, de fato, a acusada é portadora de problemas psicológicos, problemas psiquiátricos e qual a extensão dessa doença, caso ela possua”, disse.

Em depoimento à Polícia, a mulher de 30 anos pareceu visivelmente perturbada. Um policial que não quis se identificar conta que ela falou em outro idioma, em determinado momento da conversa, e também que afirma ter matado o demônio que vivia no interior da criança. Ela também acredita que a filha ainda esteja viva.

 

Veja Mais

Deixe um comentário