Pirâmide Feudal: sete pessoas são presas e mais de R$ 600 mil apreendidos

A Polícia divulgou no final desta tarde (7) o balanço da Operação Pirâmide Feudal, deflagrada em Alagoas e Pernambuco para desarticular organizações criminosas que sonegam impostos em Alagoas. Até o momento sete pessoas foram presas, dentre eles donos de granjas que, segundo a polícia, vinham de Pernambuco sem guias sanitárias e pagamento dos devidos impostos, para comercializarem frangos doentes, colocando a saúde dos clientes em risco.

A Polícia apreendeu oito armas de fogo, entre espingardas, revólveres e pistolas e vasta munição. Além de notebooks, R$ 611 mil em espécie e cerca de R$ 40 mil em Euros.

Foram cumpridos 14 mandados de prisão e 20 de busca e apreensão, todos expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital, nos municípios de Arapiraca, Palmeira dos Índios, Ibateguara, São José da Tapera, Penedo, além das cidades pernambucanas de Correntes e Garanhuns.. Entre os envolvidos está um servidor da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal).

De acordo com o tenente-coronel Liziário, comandante do Batalhão de Polícia Rodoviária, a operação teve início a partir de uma desconfiança da Adeal sobre a ausência de notas fiscais de produtos. Durante a apuração, a polícia descobriu a existência de três organizações criminosas.

Os envolvidos são suspeitos de crimes contra a ordem tributária, saúde pública, corrupção ativa e outros.

 

 

Operação prende donos de granjas e funcionário público por crimes fiscais

 

Veja Mais

Deixe um comentário