Queiroga diz que toda aglomeração deve ser evitada ‘independente de quem a faça’

Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e os senadores Omar Aziz e Renan Calheiros durante sessão da CPI da Pandemia, no Senado.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta quinta-feira (6) que “toda aglomeração” deve ser evitada independentemente de quem a promova.

Queiroga deu a declaração durante depoimento à CPI da Covid, que investiga, entre outros pontos, ações e omissões do governo federal durante a pandemia.

Ele foi questionado pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE) sobre aglomerações promovidas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

“A pergunta que eu faço: as aglomerações que o presidente Bolsonaro faz, sistematicamente, ajudam a proliferar o vírus?”, indagou o parlamentar.

Queiroga afirmou que já havia se manifestado a respeito de aglomerações, mas Carvalho insistiu: “Estou perguntando de novo”. O cardiologista, então, afirmou:

“Toda aglomeração deve ser dissuadida, independente de quem a faça.”

 

Frequentemente, o presidente Jair Bolsonaro provoca aglomerações em eventos públicos. Sem usar máscara, o presidente cumprimenta pessoas e pega crianças no colo durante essas aparições, como no último dia 17 em Goianópolis (GO).

Especialistas em saúde e organismos internacionais na área orientam o uso de equipamentos de proteção e, também, recomendam o distanciamento social, como medidas de enfrentamento à Covid-19.

Durante a reunião da CPI desta quinta-feira, o senador Reguffe (Podemos-DF) fez um apelo a Queiroga para que o ministro da Saúde converse com o presidente e reforce a necessidade do uso de máscaras.

“Eu sempre acho que a gente afirma pelo exemplo. Quando ele [Bolsonaro] sai sem máscara nas ruas, ele não dá um bom exemplo para o país. E é importante que esse exemplo seja dado”, afirmou.

Fonte: G1

Veja Mais

Deixe um comentário