Homem encontrado em porta-malas é investigado por estupro; caso seria motivado por vingança

Segundo a Polícia Civil, o homem, cuja identidade não foi revelada, foi sequestrado pela mãe e o padrasto da criança que teria sofrido abuso sexual.

Homem foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros, na ERS-122, em Farroupilha — Foto: CRBM/Divulgação

O homem de 25 anos encontrado dentro do porta-malas de um carro após um acidente na ERS-122, em Farroupilha, na Serra Gaúcha, nesta terça-feira (8), é investigado num inquérito por estupro de vulnerável.

O abuso sexual teria sido cometido contra o filho da mulher que estava no veículo, segundo a Polícia Civil. O caso corre sob sigilo uma vez que envolve menor de idade e os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

Entenda o que aconteceu
A mãe e o padrasto da criança que teria sido vítima da agressão sexual foram presos em flagrante por sequestro.

O homem foi encaminhado ao sistema prisional e a mulher, que sofreu ferimentos, está internada sob custódia. Até a tarde desta quarta-feira (9), o flagrante ainda não havia sido convertido em pedido de prisão.

A investigação ainda apura as circunstâncias do sequestro. O delegado Éderson Bilhan disse que o crime pode ter tido como motivação uma vingança contra o homem encontrado no porta-malas, que é companheiro da mãe da mulher que estava no carro.

“O casal veio de Novo Hamburgo [na Região Metropolitana de Porto Alegre] para sequestrar o rapaz em Farroupilha, em razão dele ter supostamente estuprado o filho do casal. A motivação seria uma espécie de vingança pelo crime sexual praticado pelo sequestrado contra o filho dos sequestradores”, afirma.

O estupro já havia sido denunciado e é investigado pela polícia desde antes do acidente.

“Temos o inquérito instaurado e ontem [terça-feira] conseguimos levantar mais informações. Muito em breve fecharemos a investigação já com o encaminhamento”, afirmou o delegado, que ainda aguarda a realização de perícias para fechar o caso.

O homem sequestrado foi ouvido pela Polícia Civil tanto na condição de vítima, pelo sequestro, quanto na de suspeito, pelo estupro de vulnerável.

Como não há flagrante no segundo crime investigado, ele foi liberado.

Fonte: G1

Veja Mais

Deixe um comentário