Nutricionista do HGE orienta como saborear a culinária junina sem descuidar da saúde

Comidas típicas do período junino são sedutoras, mas, é necessário cuidados na hora de preparar e conservá-las, uma vez que são altamente perecíveis. FOTO: Carla Cleto

Canjica, milho verde cozido e assado, tapioca, bolos, pamonha, amendoim, arroz-doce, galinhada… Só de ler esses substantivos já dá água na boca e, imagine, se deparar com eles dispostos em uma mesa forrada com toalha xadrez? Pois é, junho chegou e a vontade de saborear esse cardápio também, mas, a nutricionista do Hospital Geral do Estado (HGE), Carolina Braga, alerta para o risco de excessos, já que são alimentos que podem aumentar a quantidade de gordura e de açúcar no sangue.

Para hipertensos, diabéticos e que estão em tratamento médico, o melhor mesmo é consultar um especialista que possa liberar com segurança, não indicar ou recomendar moderação no consumo. Entretanto, a nutricionista também enfatiza a importância da higienização no preparo e disposição das iguarias juninas, assim como, a temperatura, o tempo fora da geladeira e o prazo de validade.

“Uma pessoa considerada saudável, ou que apresente um quadro de saúde equilibrado, pode comer moderadamente os doces e o pé de moleque. Mas, há opções melhores, como o amendoim, o vinho quente, o milho cozinho, a abóbora, a canela, a batata doce, a pipoca e o pinhão”, informou Carolina Braga.

Os espetinhos de carne e frango são boas opções devido ao seu alto teor de proteínas, porém, é preciso evitar o uso de realçadores de sabor, como molho inglês, por exemplo, assim como comê-los com farinha e exagerar na quantidade de sal. Quanto mais natural o alimento for, melhor, pois terão menos corantes, conservantes e teor calórico.

“O que pode abusar é da hidratação. Beber suco da fruta e água pode ajudar a eliminar do corpo as substâncias nocivas de alimentos não saudáveis. Os chás também são ótimas opções para ajudar na hidratação, além de esquentarem o corpo; só não vale adoçar! As bebidas alcóolicas precisam ser evitadas; mas, se faz questão, prefira o vinho, que possui antioxidante, como o resveratrol”, orientou a nutricionista do HGE.

Fonte: Sesau/AL

Veja Mais

Deixe um comentário