Com adoção de cuidados, atividades físicas são recomendadas durante a pandemia da Covid-19

Mesmo em meio à pandemia da Covid-19, a prática de atividades físicas é sempre bem-vinda, desde que o praticante respeite seus limites, seja orientado por um profissional especializado e adote as medidas de prevenção para não contrair o novo coronavírus. A orientação é do pneumologista do Hospital Geral do Estado (HGE), Luiz Claudio Bastos, que recomenda optar, preferencialmente, pelos exercícios ao ar livre, utilizando sempre a máscara, respeitando o distanciamento social.

Isso porque, segundo ele, os exercícios físicos são essenciais para manter equilibrados os níveis de glicemia e pressão arterial, pois são comorbidades que são fatores de risco para a Covid-19. O especialista ressalta, entretanto, que o caso de surgirem sintomas gripais, os exercícios físicos devem ser interrompidos imediatamente, para melhor recuperação.

É que, apesar de o novo coronavírus afetar as pessoas de formas diferentes, a infecção por Covid-19 pode provocar sintomas graves e prejudicar o funcionamento dos pulmões. É válido recordar que os seres humanos respiram por meio de dois processos: inspiração e expiração. E o processo correto gera uma série de benefícios ao organismo, entre eles a melhora da digestão dos alimentos e a eliminação de toxinas.

“Quando o vírus afeta o pulmão, ele causa um quadro de insuficiência respiratória aguda, dependendo da intensidade pode evoluir de uma forma leve para a grave, que pode precisar de ventilação mecânica. O desenvolvimento dos sintomas mais graves ainda é um objeto de estudo, mas, entendemos, que há influência da força do sistema imunológico e da existência de outras comorbidades, como a obesidade, hipertensão e diabetes”, explicou o pneumologista do HGE.

Luiz Claudio Bastos recomenda que inserir na rotina diária condutas saudáveis, faz toda a diferença para a saúde e o bem estar. Para isso, segundo ele, é sugerido privilegiar uma alimentação balanceada, eliminar os vícios em bebidas alcoólicas e cigarros, hidratar-se constante e respeitar o distanciamento social em locais com aglomeração de pessoas, aliada à prática segura e prazerosa de atividades físicas. O paciente em processo de recuperação da Covid-19 já inicia a reabilitação no hospital, com a ajuda do fisioterapeuta, podendo voltar a praticar esportes na medida em que o quadro clínico demonstrar a recuperação da doença.

O profissional em educação física, Matheus Silva, explica que, após o fim da doença, é frequente a observação de prejuízos à capacidade funcional do indivíduo, fator que exige o início de um processo de reabilitação. Há estudos que defendem, inclusive, que esses exercícios iniciem de forma precoce, pois, para alguns pesquisadores, podem contribuir para um melhor prognóstico e aumentar a capacidade funcional de quem está superando a Covid-19.

“No entanto, o começo, ou retorno, deve partir mediante liberação do médico que está acompanhando o paciente. É importante que seja realizado com a supervisão do profissional qualificado e especializado nessa volta às atividades. Todavia, a boa notícia, conforme pesquisas, é que pessoas que já possuem o hábito de praticar atividades físicas, têm menor risco de contrair doenças infecciosas e melhor a resposta do sistema imunológico à vacina contra a Covid-19”, acrescentou Matheus Silva.

Se estiver apto para exercícios, o profissional em educação física orienta a realização de pelo menos 150 minutos de atividades moderadas, ou 75 minutos com intensidade vigorosa, sempre respeitando os próprios limites. Ele também recomenda, além da avaliação médica de um cardiologista, nutrólogo, entre outros profissionais, os cuidados do nutricionista para o melhor suprimento alimentar.

Fonte: Sesau/AL

Veja Mais

Deixe um comentário