Seleção Feminina enfrenta a Rússia em penúltimo jogo antes da lista de Tóquio 2020

Pia tem observado de perto as jogadoras convocadas; lista para Tóquio terá 18 atletas.
Créditos: Carolina Brito

A Seleção Feminina está pronta para mais um teste antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Nesta sexta-feira (11), o Brasil entra em campo para um jogo preparatório contra a Rússia, no Estádio Cartagonova, em Cartagena (Espanha). A bola rola às 16h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo da Rede Globo, do site da CBF e do Desimpedidos.

A partida será a penúltima oportunidade que a técnica Pia Sundhage terá para observar atletas antes da lista final para as Olimpíadas. Com a escalação pela sueca, a Seleção vai a campo com: Bárbara; Letícia Santos, Bruna Benites, Rafaelle e Tamires; Andressinha, Formiga, Marta e Debinha; Bia Zaneratto e Ludmila.

A formação já é, segundo a própria Pia, uma projeção do time que disputará os Jogos Olímpicos. A treinadora sabe que a esta altura, cada teste é muito valioso para definir a equipe e chegar com o melhor rendimento possível ao Japão. Em entrevista coletiva, a sueca valorizou a oportunidade de testar também algumas alterações durante o jogo, que serão muito importantes para a Seleção nas Olimpíadas.

“Nós queremos achar uma coesão no time, por isso pretendemos utilizar titulares parecidas contra Rússia e Canadá. O mais interessante é quem virá do banco, porque esta será a jogadora que mudará a cara da partida e isso será muito importante nas Olimpíadas. Nós só temos dois dias de intervalo entre os jogos nas Olimpíadas, então algumas delas ficarão cansadas, por isso precisamos das mudanças, além da necessidade de alteração por questões táticas”, detalhou Pia.

Em busca das 18

Ao todo, a técnica tem um grupo de 26 jogadoras à sua disposição. Deste grupo, Pia Sundhage tenta extrair as 18 convocadas que formarão a lista final para os Jogos Olímpicos. Na entrevista coletiva desta mesma convocação, a treinadora não descartou a possibilidade de chamar alguém que não esteja com a Seleção na Espanha, mas admitiu que a base do grupo virá destes últimos testes.

Entre as jogadoras a serem observadas pela sueca, estão duas que vivem a expectativa de estrear com a camisa da Seleção Brasileira. São os casos das meias Angelina, convocada pela primeira vez, e Giovanna Crivelari, que também tem sido testada como lateral. Com uma lista enxuta, Pia procura opções que deem versatilidade ao elenco da Seleção.

“É um sonho poder estar aqui, vestir essa camisa, representar o meu país. Fiz um bom trabalho lá (Granja Comary) no período de preparação e hoje estou aqui para disputar meu primeiro amistoso. Converso com todas (minhas companheiras de Corinthians), até porque algumas meninas são da mesma posição. Gosto de estar aprendendo sempre. Estou muito feliz e um pouco ansiosa para vestir essa camisa e entrar dentro de campo fazendo um bom trabalho”, disse Giovanna Crivelari.

As adversárias

Neste primeiro jogo, o Brasil deve enfrentar um time bem compacto, que abusa da velocidade e da força física para imprimir seu jogo. Nos últimos dois confrontos entre as duas seleções, melhor para as brasileiras, que venceram por 4 a 0 (Torneio Internacional de Manaus) e por 3 a 0 (Copa Algarve), em 2016.

“A Rússia é um time muito organizado e será um adversário duro. Elas jogam com muita força. O fato delas serem bem organizadas nos ajuda a aplicar a nossa velocidade e acelerar o jogo, porque se as conexões são mais rápidas, nós conseguimos quebrar essa organização defensiva. Eu acho que nós temos muitas jogadoras boas no meio-campo, se olharmos em como elas atuam nos seus clubes. Nós vamos explorar isso, assim como as jogadoras abertas. Quando elas se defendem, elas ficam muito compactas”, descreveu a técnica da Seleção Brasileira.

A Rússia atualmente ocupa a 11ª posição no Ranking da FIFA. A equipe cumpre parte de uma punição do Corte Arbitral do Esporte (CAS) que decidiu pela não participação do país nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e na Copa do Mundo FIFA Catar 2022.

Seleção cheia de energia

A Seleção Feminina tem uma motivação extra para as partidas contra a Rússia e o Canadá. Como se não bastassem todos os componentes que envolvem a reta final para a disputa dos Jogos Olímpicos, esta é a primeira Data FIFA em que a Seleção conta com o apoio da Neoenergia, a primeira patrocinadora exclusiva da Seleção Feminina. A marca está exposta em placas e nos uniformes das Guerreiras do Brasil, em mais um capítulo do compromisso que a empresa tem com o desenvolvimento do futebol feminino. Em acordo firmado com a CBF até 2024, a Neoenergia também é patrocinadora do Brasileirão Feminino.

Brasil x Rússia

Data: 11/6 (sexta-feira)
Horário: 16h (de Brasília)
Local: Estádio Cartagonova, em Cartagena (ESP)
Transmissão: Rede Globo, site da CBF e Desimpedidos

A partida entre Brasil e Rússia é o primeiro dos dois últimos compromissos da Seleção Feminina antes da lista final para Tóquio 2020. Nesta sexta-feira (11), a bola rola às 16h (horário de Brasília), com transmissão da Rede Globo, do Desimpedidos e do site da CBF. A Seleção volta a campo na segunda-feira (14), contra o Canadá, em jogo que encerra o período de preparação das comandadas de Pia Sundhage.

Fonte: CBF

Veja Mais

Deixe um comentário