Reconstituição da morte de modelo que caiu de prédio no Chile ocorre nesta quinta-feira, diz família da vítima

Nayara Vit morreu após queda do 12º andar do edifício que morava com companheiro e filha. Cerimônia de sepultamento deve ocorrer no mesmo dia da reconstituição.

Nayara em foto publicada em rede social no dia 15 de junho de 2021 — Foto: Redes Sociais/Reprodução

A família de Nayara Vit, modelo que morreu após cair do 12º andar do prédio em que morava em um bairro nobre de Santiago, no Chile, na madrugada de 8 de julho, informou que a polícia realizará a reconstituição da queda no local nesta quinta-feira (22). O sepultamento do corpo também está programado para ocorrer no mesmo dia, durante o período da tarde, por volta das 17h.

A cerimônia de despedida será no Parque del Recuerdo Américo Vespúcio, região Metropolitana de Santiago. A família acompanhará o sepultamento no Brasil de forma online. A mãe da modelo mora em Porto União, no Norte catarinense, e deve assistir à cerimônia em casa.

Nayara tinha 33 anos e era considerada celebridade na capital chilena. Ela somava mais de 24 mil seguidores em uma rede social antes de morrer.

O corpo dela foi liberado para sepultamento somente nesta semana pela polícia, após a realização de uma nova autópsia. Inicialmente, o velório estava programado para 15 de julho.

“Considerando a divergência das versões colhidas pelo Departamento de Polícia Investigativa do Chile e a versão apresentada pelo seu namorado, Rodrigo del Valle Mijac, pessoa com quem morava há 6 meses e única testemunha no momento de sua queda do 12º andar, foi necessário que o corpo passasse por perícias mais específicas”, informou a família por meio de nota.

O G1 não conseguiu contato com Mijac ou com a polícia chilena. O G1 também tentou contato com o advogado da família de Nayara, sem sucesso. Ele está no Chile acompanhando as investigações.

Parentes disseram que desistiram de ir ao enterro por não conseguirem autorização do governo chileno para entrar no país em razão da pandemia da Covid-19.

O Itamaraty, por meio da Consulado-Geral do Brasil em Santiago, informou que está prestando assistência cabível à família da vítima.

“Em caso de falecimento de cidadão brasileiro no exterior, os consulados brasileiros podem prestar orientações gerais aos familiares, apoiar seus contatos com autoridades locais e cuidar da expedição de documentos, como o atestado consular de óbito. O traslado ou não dos restos mortais de brasileiros falecidos no exterior para o Brasil é uma decisão da família. Não há previsão regulamentar e orçamentária para o pagamento do traslado pelo poder público. A depender da causa da morte, a assistência consular também pode incluir o acompanhamento das investigações junto às autoridades locais”, informou.

“Super controlador”
Uma amiga chilena de Nayara Vit, Andrea Iglesias Temple, disse à equipe do G1 SC que o atual companheiro da modelo era controlador e ciumento.

“Não sei se foi um acidente. Ele [o companheiro] era super controlador e ciumento com ela. O que sei é que não foi suicídio”, disse Andrea Iglesias.

As duas amigas já compartilharam várias fotos juntas nas redes sociais. Na última publicação de Andrea, há uma homenagem à amiga: “Voe alto, minha rainha”.

“Estamos muito afetados com a morte de Nayara. Ela era minha melhor amiga. É difícil de acreditar”, conclui.

A modelo morava no Chile há 16 anos. No dia da morte, ela estava no apartamento com o namorado e a filha de 4 anos (fruto de outro relacionamento). A babá da criança também estava no local.

Guilherme Vit, irmão de Nayara, disse que as autoridades chilenas descartaram a hipótese de suicídio. A família acredita que a modelo tenha sido vítima de feminicídio.

Veja Mais

Deixe um comentário