Ana Patrícia e Rebecca avançam às quartas de final do torneio de vôlei de praia

Ágatha e Duda sofrem derrota para dupla alemã, por 2 a 1, e dão adeus aos Jogos Olímpicos Tóquio 2020

Miriam Jeske/COB

Ana Patrícia e Rebecca avançaram às quartas de final do torneio de vôlei de praia nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Na manhã deste domingo (noite de sábado no Brasil), elas derrotaram as chinesas  Wang e X.Y .Xia por 2 sets a 0 (21/14 e 23/21), em 46 minutos, no Shiokaze Park.

As brasileiras irão disputar as quartas de final na terça, 3, contra rivais ainda indefinidas.

“Nos dois sets a gente começou um pouco abaixo, primeiro eu, depois a Ana para não dar ciúmes”, brincou Rebecca. “Mas nesse jogo a gente veio muito na questão de vibrar, de conversar e isso equilibrou o emocional. Está muito quente, e isso foi o diferencial a nosso favor. Sempre uma estar puxando a outra”, completou.

Ana Patrícia revelou que passou por um momento difícil na primeira fase da competição, ao receber a notícia da morte de um tio.

“Mexeu um pouco com meu emocional. Mas estamos aqui para jogar, não é nenhuma justificativa. Mesmo perdendo, a gente pontuava sempre, estávamos conseguindo evoluir, trazer o nosso jogo para dentro de quadra e hoje a gente estava muito confiante. Sabíamos que ia ser um jogo difícil, mas a gente acreditava no que tínhamos conversado e visto de melhora”, afirmou.

A segunda dupla brasileira em ação em Tóquio, Ágatha e Duda, despediu-se neste domingo da quadra olímpica com uma derrota para as alemãs Ludwig e Kozuch, por 2 a 1 (21/19 e 21/19).

“Óbvio que a gente está muito triste, ainda mais após uma derrota como essa. Mas nosso coração está tranquilo com relação à nossa entrega. A gente entregou nossa vida pro esporte, a gente queria muito medalhar aqui. O time foi formado falando em Tóquio. Mas um time tem que ganhar e outro tem que perder. No terceiro set, nós entramos muito fortes, e elas conseguiram sustentar, recuperaram, ficaram próximas, é mérito delas e não tem como tirar isso. Parabéns para elas e a gente vai crescer com essa derrota, Derrota também serve para isso, há um crescimento. É daqui pra frente”, afirmou Ágatha, prata nos Jogos Rio 2016.

Duda vê a derrota como chance de aprendizado no ciclo que levará a Paris 2024.

“A gente deu de tudo, fez toda a tática, a gente fez o que tinha que fazer, deu literalmente nosso melhor. Não tem o que falar, o que faltou, o porquê disso só Deus sabe. Isso vai fortalecer a gente, vamos fazer disso um aprendizado.”

Fonte: COB

Veja Mais

Deixe um comentário