Japão cancela GP de F-1 pelo 2º ano seguido devido à Covid

Governo japonês estendeu o estado de emergência sanitária até 12 de setembro e ampliou a medida para mais 7 regiões. Jogos Paralímpicos de Tóquio começam na terça (24).

O Grande Prêmio de Fórmula 1 do Japão foi cancelado pelo segundo ano consecutivo devido à pandemia da Covid-19, anunciaram os organizadores nesta quarta-feira (18). A prova aconteceria em outubro, no autódromo de Suzuka.

“Após discussões com as autoridades do Japão, a decisão do governo japonês foi cancelar a corrida devido às dificuldades vinculadas à pandemia”, afirmou em um comunicado a empresa Formula One, que organiza o campeonato.

Os Jogos Paralímpicos de Tóquio, que começam em 24 de agosto e vão até 5 de setembro, estão mantidos. A competição ocorrerá sem público, assim como ocorreu com os Jogos Olímpicos entre o final de julho e começo de agosto.

O anúncio ocorre um dia após governo japonês ampliar o estado de emergência para mais sete regiões para combater o aumento de casos. Ele já está em vigor em Tóquio e outras cinco regiões.

A previsão inicial era encerrar o estado de emergência no 31, mas o governo decidiu estendê-lo até 12 de setembro e ampliar as medidas para outras regiões.

O estado de emergência japonês é bem mais brando do que as medidas de confinamento adotadas em outros países: apenas restringe o funcionamento de bares e restaurantes, proíbe a venda de bebidas alcoólicas e recomenda o trabalho remoto.

Pandemia no Japão
O Japão tem um número consideravelmente menor de casos confirmados e mortes por Covid-19, na comparação com outros países, apesar de não ter determinado confinamentos.

São quase 1,2 milhão de infectados e 15,5 mil óbitos desde o início da pandemia, segundo a Universidade Johns Hopkins.

Mas, nos últimos dias, o país registrou um recorde de mais de 20 mil casos por dia.

Já o programa de vacinação começou mais tarde e avança de maneira mais lenta que em outros países desenvolvidos: apenas 37% da população está imunizada.

Fonte: G1

Veja Mais

Sorry, nothing to display.

Deixe um comentário