PM é condenado a mais de 53 anos por matar irmãos e pedreiro durante abordagem

Caio Loureiro/TJ

O policial militar da reserva Johnerson Simões Marcelino foi condenado a mais de 53 anos de prisão em regime fechado pelos assassinatos dos irmãos Josenildo e Josivaldo Aleixo, além do pedreiro Reinaldo da Silva. A família do pedreiro deverá ser ressarcida em R$ 80 mil. O militar pode recorrer da sentença.

O julgamento ocorreu nesta quinta (15), no Fórum do Barro Duro e se encerrou no final da noite. Durante todo o julgamento, a defesa do militar tentou imputar aos irmãos, que sofriam de deficiência intelectual, uma mochila onde estaria uma suposta arma, além de participação em atividades ilícitas. Contudo, todas as testemunhas negaram o fato e afirmaram que os jovens foram brutalizados desde o início da abordagem.

O triplo homicídio ocorreu no ano de 2016, no Village Campestre. Johnerson Simões Marcelino foi condenado a 24 anos e 6 meses pela morte de Josenildo, e 28 e sete meses pela morte de Josivaldo. Após cumprir a pena, o réu ainda deve ficar preso por mais 13 meses. RELEMBRE O JULGAMENTO.

Um dos depoimentos mais emocionantes foi o da mãe dos irmãos Aleixo, Maria de Fátima Ferreira. Segundo ela, nunca se recuperou da morte do filho, e o marido, adoeceu e morreu após a morte dos filhos. E mais, no dia em que os jovens foram mortos, teria sido a primeira vez que eles saíram de casa sem a supervisão de alguém.

Já os policiais que integravam a guarnição deram depoimentos cheios de contradições durante o júri. Johnerson Simões Marcelino também foi condenado por fraude processual.

Veja Mais

Deixe um comentário