PF e IMA coletam novas amostras em praias e investigam se houve crime ambiental

A repercussão do transbordamento de esgoto que expulsou banhistas, neste domingo, 5, da Praia de Ponta Verde, continua nesta segunda-feira, 6. Diversos órgãos do Estado se posicionaram sobre o assunto e alguns deles foram a campo para investigar as circunstâncias do ocorrido.

Um deles é a Polícia Federal que se uniu ao IMA (Instituto do Meio Ambiente) e coletou amostras em pontos  da Orla de Maceió, que apresentam sinais de poluição. Elas passaram por análise para identificar eventuais danos, causas, consequências e demais elementos de possível crime ambiental. A PF pretende também identificar os responsáveis e evitar novas ocorrências.

Mais cedo o Ministério Público Federal em Alagoas informou que está cobrando dos órgãos municipais, IMA/AL e BRK Ambiental explicações, no prazo de cinco dias, sobre o vazamento de água suja que atingiu a areia da praia e o mar. O MPE quer saber quais as medidas que foram e serão adotadas para reparar o problema.

Além disso, o MPF pediu à Secretaria Municipal de Promoção do Turismo (Semtel) informações sobre as reuniões realizadas para tratar das línguas sujas e também do compromisso de cooperação firmado com a BRK Ambiental especialmente sobre a recuperação das estações elevatórias da cidade.

Força-tarefa

Assim que o problema surgiu a Prefeitura de Maceió informou que havia criado um grupo de trabalho para tratar da questão das línguas sujas. Ao todo são oito secretarias, a BRK e tem coordenação do secretário executivo, Claydson Moura.

A Prefeitura reforçou que a maior parte da água escura vista na areia da praia e no mar é fruto do lixo jogado, da água da chuva e de ligações clandestinas de esgoto. LEIA MAIS AQUI

BRK

A BRK por sua vez justificou que o fato foi causado pelas fortes chuvas que ocorreram em curto espaço de tempo e resultaram no transbordamento das redes de drenagem, operadas pela Prefeitura. A empresa também destaca que compete à Prefeitura fiscalizar e autuações de ligações indevidas tanto na rede de esgoto quanto na rede de drenagem.

Multa

Por causa da situação, o IMA autuou a Prefeitura de Maceió em R$ 100 mil. A equipe técnica do Laboratório de Estudos Ambientais do IMA foi a primeira a coletar amostras para análise. O resultado deve ser concluído nos próximos dias.

A fiscalização do Instituto encontrou mais quatro galerias pluviais na orla em situação de lançamento de esgoto, entre Pajuçara e Cruz das Almas; apresentando manchas escuras no mar e forte odor.

 

 

Veja Mais

Deixe um comentário