Pré-candidatos reforçam discursos e indicam estratégias em corrida pelo Planalto

Jovem Pan News

O sábado, 22, não foi tranquilo entre alguns dos pré-candidatos à Presidência da República. De modos diferentes e até mesmo inusitados em declarações e postagens, seguiram alfinetando os adversários.

O clima de campanha eleitoral segue. Ainda em Eldorado, no interior de São Paulo, um dia após o sepultamento de sua mãe, o presidente Jair Bolsonaro falou com os jornalistas e moradores locais. Ele comparou o seu trabalho com o do ex-presidente Lula.

O chefe do Executivo disse que quando o petista diz que em seu governo se comia melhor, Bolsonaro declara que isso é fácil porque Lula governou sem ter que cumprir o teto de gastos.

O presidente aproveitou para elogiar o seu de transferência de renda, pois, mesmo sem o teto de gastos, o valor do Bolsa Família era menor que o atual auxílio. Bolsonaro também relembrou uma declaração feita dias atrás, fazendo referência à corrupção nos governos petistas.

Ele disse: “Agora querem que o ladrão volte a cena do crime? Pelo amor de Deus. Querem a volta da ideologia de gênero? Querem loteamento de ministérios? Olha o padrão dos meus ministros e os anteriores”.

Outro pré-candidato é Ciro Gomes, que nesta sexta-feira, 21, foi o escolhido do PDT para a disputa deste ano. Neste sábado, 22, nas redes sociais, Ciro relembrou o lema de sua campanha, “a rebeldia da esperança”, fazendo alusão a outros rebeldes históricos como Tiradentes, Gandhi, Nelson Mandela, Zumbi dos Palmares, Tarsila do Amaral e Castro Alves, por exemplo.

Ainda publicou um texto dizendo que muitos dos que se apresentam como líderes vivem imersos em um mar de picaretagem, oportunismo e ignorância, mantendo há décadas o mesmo modelo econômico que paralisa o país e amplia as desigualdades. Ciro disse: “Sou bem diferente deles”.

João Doria, pré-candidato do PSDB, em agenda no interior paulista neste sábado, 22, usou novamente a vacina como arma.

“Aqui, minha gente, aqui em São Paulo, não é a terra da cloroquina. Aqui é a terra da vacina, minha gente. Viva a vacina! Viva a vida! Viva Cruzeiro! Viva o vale! Viva São Paulo e viva o Brasil, o nosso país! O Brasil tem jeito”, declarou Doria.

Já Sergio Moro, escolhido do Podemos, usou o humor para dizer que está pronto para cuidar do Brasil. Em uma rede social, postou uma foto jogando em um antigo fliperama. Fazendo alusão ao mundo dos videogames, disse: “Ser brasileiro é viver do modo hard”. Ou seja, jogar no modo mais difícil.

Relembrou que, na época da universidade, jogava Street Fighter II com o personagem Blanka, que no jogo representa o Brasil. Assim, segundo ele, passa a se acostumar com o peso de representar o Brasil.

 

Fonte: Jovem Pan News

Veja Mais

Deixe um comentário