Polícia conclui que vereador cometeu crime de racismo

Câmara dos Vereadores de São Paulo

Câmara dos Vereadores

Em investigação, a polícia concluiu que o vereador de São Paulo Camilo Cristófaro (Avante) cometeu o crime de racismo. O caso investigado ocorreu durante uma sessão da Câmara Municipal na qual o parlamentar participava remotamente e deixou vazar um áudio em que ele falava “coisa de preto” para se referir a uma limpeza mal feita. Houve indignação por parte de colegas da Casa, que procuraram a corregedoria para iniciar um procedimento interno. A vereadora Luana Alves (PSOL) também procurou a delegacia de crimes raciais, dando início ao inquérito policial.Alves celebrou a finalização do inquérito policial nas redes sociais dizendo que foi “um trabalho técnico de altíssima complexidade (…) porque indiciar alguém por crime de racismo no Brasil não é uma tarefa simples”, disse ela. “Na maioria, das vezes é tipificado por uma injúria racial. Nesse caso, foi tipificado como crime de racismo”, completou.

Depois da fala, o vereador chegou a se justificar, reconheceu o erro, pediu desculpas, disse que faz parte de um tempo em que era comum normalizar esse tipo de comportamento e que precisava passar por uma desconstrução. Na Câmara, o processo que pode passar o mandato dele está parado em função de uma liminar da defesa do vereador falando de imparcialidade da relatora do processo. A liminar foi concedida pela justiça. A Câmara recorreu e uma decisão final ainda está sendo aguardada do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Fonte: Jovem Pan News

Veja Mais

Deixe um comentário