Após ser alvo de ataques homofóbicos, Gil do Vigor será diretor de diversidade do Sport

Com camisa do Sport e um leão na mão, Gil do Vigor dança o “tchaki tchaki” no gramado do campo do clube — Foto: Reprodução/TV Globo

Mais de um ano e meio após ser alvo de ataques homofóbicos de um conselheiro do Sport, o economista e ex-BBB Gilberto Nogueira, conhecido como Gil do Vigor, comemorou o resultado das eleições presidenciais do clube. Com a vitória de Yuri Romão sobre o candidato da oposição, Luciano Bivar, na sexta-feira (16), Gil irá se tornar diretor do clube pernambucano.

O doutorando em economia integra a chapa de Yuri Romão no biênio 2023/2024 como diretor do departamento de inclusão e diversidade na Ilha do Retiro, criado em 2021. Yuri venceu o presidente nacional do União Brasil e deputado federal reeleito Luciano Bivar, que já presidiu o Sport em quatro gestões: 1989-1990, 1997-2001, 2005-2006 e 2013.

“Deu certo! Com mais de 96% dos votos. Me sinto honrado demais e vamos trabalhar! Pelo SPORT TUDOOOOO”, declarou Gil, em uma publicação no Twitter.

Relembre o caso

Em novembro de 2021, foram vazados áudios com declarações homofóbicas de Flávio Koury, conselheiro do Sport, sobre Gil do Vigor em um grupo no WhatsApp.

O conselheiro não gostou de um vídeo gravado no gramado da Ilha do Retiro, estádio de futebol do clube, em que Gil dança o “tchaki tchaki”, coreografia que virou a marca registrada do ex-BBB no programa. As imagens foram gravadas no dia em que o economista foi homenageado pelo Sport (veja vídeo abaixo).

Em um áudio postado em um grupo de WhatsApp que reúne pessoas de fora do ambiente do clube, Koury disse que a dança de Gil no estádio do Sport era uma “desmoralização” e “ausência de vergonha na cara”.

Após a repercussão dos ataques homofóbicos contra Gil, Koury pediu desculpas ao ex-BBB (veja vídeo abaixo). Além disso, jogadores do Sport fizeram homenagens ao economista e entraram em campo com uma faixa com ‘#NãoàHomofobia’ e usando camisas do uniforme com o sobrenome ‘do Vigor’ ao lado do nome de cada atleta. O caso se arrastou por seis meses sem julgamento.

Conselheiro do Sport pede desculpas a Gil após repercussão de áudios com ataque homofóbico

Fonte: G1

Veja Mais

Deixe um comentário

Vídeos