Suspeita de cometer injúria racial é barrada em voo e presa em Confins: ‘Macaco, preto, cretino, babaca’

Suspeita de injúria racial foi ouvida no Centro Integrado de Segurança Pública no aeroporto de Confins — Foto: Ernane Fiuza/TV Globo

Uma mulher, de 39 anos, foi presa pela polícia no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na Grande BH, suspeita de injúria racial e lesão corporal contra um gerente operacional da companhia aérea Azul, na tarde deste domingo (23).

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que a acusada deu entrada no Presídio de Vespasiano nesta segunda-feira (24). Ela era passageira de um voo que seguiu para Natal (RN), às 13h30, mas, após o tumulto, foi impedida de entrar no avião.

Depois de apresentar o cartão de embarque, a suspeita caiu no chão antes de chegar na aeronave. Para ajudá-la, um funcionário da empresa socorreu a passageira e relatou que ela apresentava sintomas de embriaguez.

O gerente operacional perguntou se a cliente precisava de atendimento médico e a convidou a se retirar do avião, respeitando os protocolos da aviação civil, referente à segurança aérea, e explicou que a passageira precisaria ser realocada em outro voo.

Segundo o boletim de ocorrência (BO), quando o funcionário da Azul retirou os pertences da passageira, ela tentou agredi-lo e disse que ele era “macaco, preto, cretino, babaca”. A mulher também falou que ele estaria feliz por desembarcar uma patricinha, e chutou e socou o homem.

Outro funcionário da companhia tentou conter a cliente e também foi xingado. A Polícia Federal (PF) foi chamada, deu voz de prisão à suspeita e a conduziu até a base da Polícia Militar (PM).

Os agentes da PF também foram ofendidos pela mulher. No BO, foram registradas agressões verbais como “policiais federais babacas, playboys que viraram policiais e moleques”.

O que dizem os envolvidos
Para a PM, a acusada contou que apenas obedeceu ao funcionário da empresa e que teria tropeçado ao entrar na aeronave. Ela alegou que não poderia perder o voo por motivos profissionais, que se exaltou e saiu de perto dos envolvidos.

A suspeita ainda contou que aguardava uma refeição em um restaurante quando os policiais deram voz de prisão em flagrante, antes de ela ser conduzida.

A Polícia Civil informou que Luana foi levada para a delegacia de Polícia Civil, em Vespasiano, na Grande BH.

O g1 conversou com a suspeita, que preferiu não manifestar-se, limitando-se a dizer que o ocorrido foi apenas um mal-entendido.

A reportagem também entrou em contato com o funcionário da Azul, que pediu à reportagem que buscasse informações com a companhia aérea.

O que diz a Azul
“A Azul informa que uma Cliente indisciplinada no voo AD2562 (Belo Horizonte-Natal) foi orientada a desembarcar por comportamento inadequado. No momento do desembarque, a Cliente agrediu física e verbalmente um Tripulante da Azul. A autoridade de segurança foi chamada para acompanhar o desembarque e, em seguida, os conduziu para delegacia para registrar depoimento e conduzir a apuração do caso. A Azul ressalta que repudia veemente qualquer tipo de ofensa ou agressão aos Clientes e seus Tripulantes, sendo certo que serão adotadas as medidas cabíveis.”

Fonte: g1

Veja Mais

Deixe um comentário

Vídeos