Chacina em festa infantil: todas as vítimas foram baleadas de forma proposital, diz polícia; duas crianças morreram

Tiroteio em festa de aniversário de criança deixa mortos e feridos na Grande BH — Foto: Henrique Campos/TV Globo

Todas as vítimas da chacina ocorrida em uma festa de aniversário infantil, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram atingidas de forma proposital, segundo a Polícia Civil. Três pessoas morreram no ataque, incluindo duas crianças.

A instituição apresentou, nesta terça-feira (9), as conclusões da investigação. Ao todo, oito pessoas foram indiciadas, sendo sete pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio. Cinco envolvidos ainda estão foragidos.

Segundo as investigações, o crime foi motivado pela intenção dos envolvidos de mudar a configuração da criminalidade na região do Morro Alto, em Vespasiano, na Grande BH. Como havia chance de resistência por parte de alguns criminosos, duas lideranças, uma do Morro Alto e outra do Joana Darc, no Barreiro, na capital, se uniram para praticar a chacina.

“A investigação apontou que havia uma vítima principal desse crime, mas que as demais vítimas também foram atingidas de maneira proposital por parte dos executores. Os disparos foram efetuados num ângulo que pudesse atingir um número grande de pessoas”, afirmou o delegado Marcos Rios.
Família canta parabéns para o menino Heitor Felipe antes de chacina em Ribeirão das Neves

Mulher suspeita de ser informante
Nesta terça-feira (9), a Polícia Civil divulgou que a mulher presa por suspeita de informar aos criminosos sobre a festa e de detalhar como estava o local foi indiciada por homicídio qualificado.

“As investigações indicaram que ela agiu motivada por um atrito pessoal com o alvo principal da ação criminosa, que era o pai do aniversariante. Ela não era familiar, mas tinha relação de amizade com a mãe da criança e com toda a família. Ela é uma pessoa que tem uma circulação boa em vários grupos da região do Morro Alto, tanto das vítimas quanto dos executores”, explicou o delegado Marcos Rios.
Ivone Silva de Almeida foi presa no dia 5 de julho, localizada pelo serviço de inteligência da Polícia Militar. Ela negou envolvimento com o crime.

Relembre o crime
A chacina ocorreu em 23 de maio maio deste ano, quando dois homens invadiram a festa de aniversário de uma criança e atiraram.

Segundo a Polícia Militar, o aniversariante Heitor Felipe, de 9 anos, o pai dele, Felipe Júnior Moreira Lima, de 26, e a prima Layza Manuelly de Oliveira, de 11, morreram.

Outras três vítimas baleadas foram socorridas e levadas para o Hospital Risoleta Tolentino Neves, na capital. O alvo principal, pai do aniversariante, tinha envolvimento com criminosos da região do Morro Alto.

“A vítima alvo já tinha sido ameaçada anteriormente, mas não apenas ela. As ameaças eram direcionadas à família também da vítima. Então, não por acaso, várias das vítimas também eram seus familiares. A nossa tese sobre a motivação é que foi para poder passar esse recado de que não iriam interferir na configuração da criminalidade do Morro Alto”, disse o delegado.

Fonte: g1

Veja Mais

Deixe um comentário

Vídeos