Justiça recebe denúncia contra acusado de assassinar e ocultar corpos de jovens em Arapiraca

Cortesia

O juiz da 5ª Vara de Arapiraca, Alberto de Almeida, recebeu a denúncia ofertada pelo Ministério Público Estadual contra Reginaldo da Silva Santana, acusado de assassinar e ocultar os corpos de quatro jovens em uma cacimba no Sítio Laranjal, em Arapiraca, em abril deste ano.

O réu está respondendo por homicídio qualificado  e ocultação de cadáver contras as vítimas Lucas da Silva Santos, Erik Juan de Lima Silva, Letícia da Silva Santos e Joselene de Souza Santos. Além disso, ele responde ainda por posse irregular de arma de fogo e crime contra a fauna.

Já os outros dois acusados, Wesley Santana Sá e Adriano Santos Lima, estão sendo acusados apenas por ocultação de cadáver (quatro vezes).

“Enfim, não há nos autos, neste momento, qualquer elemento que indique a necessidade de rejeição liminar da pretensão inicial acusatória, conforme disposto pelo art. 395 do Código de Processo Penal, com redação dada pela Lei nº 11.719/2008. Assim sendo, recebo a denúncia em todos os seus termos” diz o magistrado.

Vítimas de chacina em Arapiraca são identificados; confira

Contudo, a defesa de Wesley Santana e Adriano Santos ingressou com o pedido de liberdade provisória dos réus, que foi concedida pelo juiz. “Nesse sentido, por ser a prisão preventiva medida extrema e que só deve ser aplicada ante a demonstrada insuficiência ou inadequação das medidas cautelares diversas, entendo que, no presente caso, embora trata-se de crime com acentuada gravidade, ante as circunstâncias do fato concreto e considerando a gravidade da conduta do indiciado, verifico que a aplicação de medidas cautelares possam ser suficientes e adequadas”, decidiu o juiz.

No dia 19 de abril deste ano, o escultor, Reginaldo da Silva, foi preso por assassinar e abandonar quatro corpos em uma cacimba, no bairro Batingas, na cidade de Arapiraca. Para cobrir os corpos, o autor utilizou gesso na cacimba.

No momento da prisão, o acusado, estava em posse de algumas armas de fogo. Ele possuía o registro de  Colecionador, Atirador e Caçador (CAC) e tinha 10 armas de fogo, incluindo um silenciador.

Em depoimento, o autor da chacina alegou ter cometido o crime em resposta a um suposto furto de celular pelos jovens, porém, essa informação foi contestada pelos familiares das vítimas. 

 

Leia também: Homem é preso acusado de assassinar quatro pessoas e jogar corpos em cacimba; vídeo

Assista ao momento em que suspeito de chacina de Arapiraca é preso

Além de empresário, mais duas pessoas são suspeitas de participar de chacina em Arapiraca, diz PC

 

Polícia prende terceiro suspeito de participar de chacina em Arapiraca

 

 

Veja Mais

Deixe um comentário

Vídeos