Só 42 mil regularizam título eleitoral; prazo acaba no dia 26

Só 42.035 eleitores inadimplentes procuraram os cartórios eleitorais para regularizar a situação do título de votação, segundo balanço divulgado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Outros 1,856 milhão ainda estão em situação irregular.

O prazo para regularização do título vence em 26 de abril. Além do risco de ter o título cancelado, o eleitor em débito com a Justiça Eleitoral não pode tirar documentos de identidade, passaporte, renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial, inscrever-se em concurso público, participar de concorrências em órgãos públicos, entre outras penalidades.

Estão em situação irregular as pessoas quem não votaram nem justificaram a ausência nas três últimas eleições consecutivas –o Referendo de 2005 e o 1º e 2º turno das eleições gerais de 2006.

Em 2003, ano seguinte às eleições gerais de 2002, foram verificados 2.247.892 títulos irregulares. Destes, apenas 95.906 eleitores compareceram aos cartórios para evitar o cancelamento e 2.151.986 títulos foram cancelados.

Estados

No Estado de São Paulo, onde há o maior número inadimplentes (eram 381.655), houve a maior procura para a regularização de títulos: 9.701 eleitores já compareceram aos cartórios.

Em segundo lugar está Minas Gerais –dos 217.053 faltosos, 5.450 ficaram regulares. No Paraná, dos 99.918 eleitores com títulos em risco, 2.862 procuraram os cartórios; no Rio, compareceram aos cartórios 2.690 dos 160.011 inadimplentes.

Já os Estados em que houve a menor procura para a regularização foram Roraima (apenas 172 dos 7.044 inadimplentes), Acre (186 dos 9.252 irregulares), Sergipe (290 dos 16.891 inadimplentes) e Amapá (324 dos 9.757 irregulares).

No exterior, apenas 63 dos 5.744 eleitores com títulos em risco ficaram em situação regular.

Faltosos

A relação dos nomes dos eleitores faltosos está afixada nos cartórios eleitorais. Além disso, o eleitor também pode verificar a situação de seu título por meio da internet, na página do TSE.

Fonte: Folha

Veja Mais

Deixe um comentário