Trekinho e Alcione Silva vencem o SuperSurf em Maresias

UolTrekinho no pódio do SuperSurf de São Sebastião. Foto: Ivan Storti

Trekinho no pódio do SuperSurf de São Sebastião. Foto: Ivan Storti

Duas decisões entre surfistas do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Norte marcaram a segunda etapa do SuperSurf 2005, encerrada num domingo de Sol e praia lotada em Maresias. O carioca Marcelo Trekinho repetiu a vitória conquistada em São Sebastião em 2002, quando também enfrentou um surfista potiguar, Fabrício Júnior, mas só que agora foi contra Danilo Costa.

Já na categoria feminina, a natalense Alcione Silva conquistou sua primeira vitória no SuperSurf derrotando a niteroiense Juliana Guimarães. Com os títulos na segunda etapa da temporada, os vencedores na Praia de Maresias assumiram a liderança dos rankings que vão definir os campeões brasileiros de 2005. O próximo confronto será nos dias 13 a 17 de julho na Praia de Itaúna, em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Nas semifinais masculinas, o potiguar Danilo Costa superou o paranaense Jihad Kohdr em sua última onda, despachando-o por décimos: 13,40 x 13,10 pontos. E na outra, os amigos Marcelo Trekinho e o baiano Wilson Nora fizeram um belo duelo, com o carioca seguindo em frente com um apertado placar de 11,84 x 10,63 pontos.

Os dois finalistas também já tinham uma vitória no currículo. O potiguar Danilo Costa foi campeão da etapa da Prainha, no Rio de Janeiro (RJ), em 2001 e no ano seguinte Marcelo Trekinho ganhou a prova que abriu a temporada em São Sebastião, só que em condições bem diferentes das deste domingo na Praia de Maresias. Num dia mágico de tubos espetaculares com mais de 2 metros de altura, Trekinho conseguiu atingir um feito inédito de receber três notas 10 num só dia, com o último deles saindo na grande final contra Fabrício Júnior.

Agora, a manobra principal era o aéreo e foi voando que Trekinho largou na frente com uma nota 7,50. Mas, o natalense Danilo Costa não desistiu e correu atrás do prejuízo também decolando num aéreo ainda mais alto para receber uma nota 8. Porém, ainda assim ficou precisando de 6,10 pontos e não entrou nenhuma outra onda com potencial nas séries demoradas do último dia do SuperSurf de São Sebastião na Praia de Maresias. Trekinho festejou bastante ainda dentro da água a sua segunda vitória na praia mais badalada do litoral norte de São Paulo. O placar foi encerrado em 14,10 x 13,20 pontos.

"Maresias mais uma vez trazendo muita felicidade para mim e eu sinceramente não achei que poderia vencer quando vim para cá. Depois da minha vitória aqui em 2002 eu só dancei de cara nos outros anos, aí fui passando surfando bem em algumas baterias, fazendo o suficiente em outras e apesar das ondas pequenas o campeonato foi show, com praia lotada, Sol e a vitória, que é mais importante", vibrou Marcelo Trekinho, agora o novo número 1 do ranking brasileiro no SuperSurf 2005.

"Foi muito difícil, porque o Danilo poderia virar em qualquer onda e eu vivi ali os 10 minutos mais longos da minha vida. Eu torcendo para não vir mais onda e ele, claro, querendo o contrário, mas ainda bem que o mar colaborou comigo e no final foi só festejar. E era isso que eu queria mesmo, os dois surfando bem, competindo com honestidade, eu agora estou na frente do ranking mas é só o começo da temporada ainda e não quero nem pensar nisso de título brasileiro", disse Trekinho, que faturou 22.000 reais pela sua segunda vitória no SuperSurf de São Sebastião.

Já o potiguar Danilo Costa reconheceu a vitória do carioca, mas protestou contra um erro dos juízes na onda que Trekinho tirou sua maior nota. "Eles inverteram a prioridade, que era minha mas acabaram dando para ele e eu fiquei na dúvida de remar naquela onda, mas é isso aí e estou muito feliz com minha performance aqui. Consegui surfar bem desde a primeira fase e só tenho que agradecer a Abril e a ABRASP por terem me convidado para disputar esta etapa. Entrei confiante na final, mas não posso desmerecer o Trekinho, que vinha voando muito nas baterias. Infelizmente não deu para pegar uma segunda onda boa que desse para eu vencer o campeonato", lamentou Danilo Costa, que levou 9.600 reais e já aparece em 17o. lugar no ranking brasileiro do SuperSurf 2005.

"Espero que eu seja convidado para disputar outras etapas também para tentar confirmar minha vaga no SuperSurf, que é um circuito alucinante, o mais rico do mundo, e pena que não deu para a gente levar os dois títulos lá para Natal. Estou muito contente pela Alcione Silva ter vencido no feminino e faltou pouco para eu também ganhar o campeonato, só faltou subir uma ondinha a mais ali, mas ela não veio, infelizmente", disse Danilo Costa, que agora está residindo em São Paulo.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *