Nelson da Rabeca vai tocar na Noruega

Aos 74 anos de idade, pai de doze filhos e tantos netos que ele se confunde nas contas, Nelson dos Santos se prepara para sua primeira apresentação fora do Brasil – ele vai se apresentar na Noruega, este ano; é a sua primeira apresentação fora do País.

Natural de Joaquim Gomes, mudou-se para Marechal Deodoro e até os 54 anos de idade era o Nelson dos Santos, cortador de cana. Um dia assistiu pela televisão do vizinho a apresentação de um violonista e decidiu trocar a sanfona, instrumento que não conseguiu dominar, “por um violãozinho daquele”.

Sua história

Nelson é protagonista de uma história sui-generis na música; aprendeu a tocar aos 54 anos de idade.Ele mesmo fez o instrumento; foi à mata e cortou uma jaqueira. Mas, no lugar de tocá-lo da forma original, tocou-o com afinação e forma diferente. Nelson passou a fabricar rabecas e incorporou o nome ao instrumento, depois de ter vendido um exemplar para o empresário Beto Carreiro, que estava de férias na Praia do Francês.

-“Eu saía vendendo rabecas pela Praia do Francês e um dia encontrei com o Beto Carreiro, que eu nem sabia que era um homem famoso. Ele me chamou, perguntou quanto custava o a rabeca e comprou logo duas. Isso foi em 1994. Ele me incentivou a fabricar rabecas e eu não parei mais. Perdi a conta de quantas já fiz e vendi. E aí passei a ser conhecido como Nelson da Rabeca”, contou orgulhoso.

Internacional

Depois de se apresentar em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Recife e Fortaleza, Nelson está se preparando para sua primeira viagem internacional; seu show na Noruega está praticamente acertado para o segundo semestre do ano. “Meu empresário está cuidando de tudo”, diz eufórico.

Nelson vai viajar acompanhado de dona Benedita, a esposa inseparável e parceira, para quem dedicou seu último trabalho – o CD “Segredo das Árvores”. E dos tempos de amargura, quando sobrevivia sacrificado cortando cana-de-açúcar, não há mais nenhuma referência.

-“Hoje eu tenho uma casa boa, televisão e comprei um carro (Gol); não comprei zero quilômetro porque não quis. A rabeca me deu tudo isso e agradeço a Deus, à minha mulher, meus filhos, meu empresário e o público que me aplaude e paga para me ouvir”, reconhece.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *