Dois assentamentos alagoanos investirão em projetos produtivos

Os assentamentos Paraná e Boiadeiro, localizados respectivamente em Girau do Ponciano e Traipu, receberam cerca de R$ 460 mil para investimento nos projetos produtivos de suas comunidades. Os recursos são do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf – Grupo A), contratados pela Agência do BNB de Arapiraca. Ao todo, 29 famílias de trabalhadores rurais foram beneficiados com essas operações de crédito.

Segundo o agente de desenvolvimento do BNB em Arapiraca, Benilton Rodrigues de Oliveira, desde 2002, o BNB não conseguia operar com o Pronaf – A (destinado aos assentamentos) naquela região. “Havia muitos entraves relacionados ao cadastro dos assentados, ou à liberação das declarações de aptidão, necessárias para a liberação dos recursos, ou ainda à inadimplência de alguns assentamentos. Atualmente, estamos realizando um trabalho de articulação com os órgãos parceiros, como Seagri, Incra e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, que têm se empenhado bastante na resolução dessas questões burocráticas. O BNB também tem acompanhado mais de perto os assentamentos, com visitas técnicas, procurando renegociar dívidas e facilitar o acesso ao crédito”, esclarece.

Os Assentamentos Paraná e Boiadeiro investirão na reforma de barragens, compra de animais, aquisição de forrageiras, pulverizador, máquinas batedeira de grãos e de arado, plantação de palma forrageira, compra de carro de boi e na plantação de capim pisoteio.

Para a região de Arapiraca, o BNB pretende investir esse ano cerca de R$ 8,5 milhões em todos os grupos do Pronaf.

Pronaf A

Benilton informa ainda que o Pronaf A destina-se ao apoio financeiro das atividades agropecuárias e não-agropecuárias de agricultores assentados pelo Programa Nacional de Reforma Agrária e de assentamentos reconhecidos pelo Governo Federal. Os financiamentos de investimento são utilizados na implantação, ampliação e modernização da infra-estrutura de produção e de serviços agropecuários e não-agropecuários, no estabelecimento rural ou em áreas comunitárias rurais próximas.

Os trabalhadores rurais têm até dez anos para pagar o financiamento, incluídos três anos de carência. O período de carência pode chegar a cinco anos quando a atividade assistida requerer esse prazo e o projeto técnico comprovar essa necessidade. Quanto aos juros, o agente de desenvolvimento do BNB destaca os valores abaixo do mercado, com taxa efetiva de 1,15% ao ano.

Fonte: BNB

Veja Mais

Deixe um comentário