Barenco coloca cargo de delegado de Rio Largo à disposição

Arquivo/Luis VilarDelegado Marcílio Barenco pôs o cargo à disposição da Cúpula da Defesa Social

Delegado Marcílio Barenco pôs o cargo à disposição da Cúpula da Defesa Social

O delegado da Polícia Civil, Marcílio Barenco, disse – agora há pouco – ao Alagoas 24 Horas, que está colocando o seu cargo na delegacia de Rio Largo à disposição. A insatisfação de Barenco – segundo ele mesmo – é com a forma que a cúpula da Secretaria de Defesa Social agiu quando ele resolveu cumprir um mandato de busca e apreensão na casa do vereador Toninho Lins.

Barenco afirmou que foi questionado sobre sua atitude, mesmo tendo encontrado na casa do vereador um colete exclusivo da Polícia Civil, que foi apreendido. “Vieram me questionar sobre a apreensão porque o vereador era do grupo do governo. Eu faço o meu trabalho sem questionar a que grupo político as pessoas pertencem, pois no dia que tiver que fazer isso não sou mais delegado. Por isso, disse à cúpula que a minha cadeira está vaga para aqueles que agem buscando entender os interesses políticos dos poderosos do Estado”, colocou o delegado.

O delegado declarou que não entendeu o porquê do pronunciamento do deputado João Beltrão a seu respeito por conta da invasão a casa do vereador. “Ele foi à televisão me esculhambar. Ele faz isso desde que trabalhei em Coruripe. Eu esqueci dele, mas ele não esquece de mim. Impressionante, insiste em lembrar todo dia”, colocou Barenco, que já foi responsável por uma investigação de homicídio em Coruripe que apontou pessoas ligadas ao deputado.

“Há pessoas da Policia Civil que ficaram insatisfeitas com a minha atuação na casa do vereador, mas eu cumpro o meu trabalho de forma isenta, sem me preocupar a quem os investigados estão ligados. Acho que esta é a função da Polícia Civil. Não vou dizer que fui pressionado, mas senti uma insatisfação por conta da condição política do vereador. Eu estou trabalhando, este é o problema”, disse Barenco.

O delegado complementou que “se quiserem alguém que não vá mexer nos interesses políticos deste Estado, o meu cargo está à disposição. Este alguém só não serei eu”, finalizou Barenco. Marcílio Barenco é o delegado que comandou a Operação Mata do Rolo, que resultou na prisão de várias pessoas inclusive o marido da prefeita de Rio Largo, Ricardo Schavuzzi.

Veja Mais

Deixe um comentário