IMA estuda nova área para unidade de conservação

Os técnicos da Gerência de Unidades de Conservação do Instituto do Meio Ambiente (IMA) estão realizando estudos em Santana de Ipanema, num local conhecido como Curral do meio, para ser no futuro a primeira área de conservação da caatinga em Alagoas.

Segundo Alex Nazário, gerente da Gerência, já foi feita a primeira visita nos dias 21 e 22 de março. “Fizemos um levantamento sobre a delimitação, o estado em que se encontra a área de caatinga, coleta de dados e material cartográfico”, disse Alex Nazário, destacando ainda que será proposta uma estação ecológica devido ao alto nível de conservação do local.

A próxima etapa será a caracterização da fauna e flora com os biólogos do IMA, e, em seguida, será montada uma equipe para fazer um estudo sobre a realidade socioeconômica da população.

Alex Nazário destaca que a área é rica por possuir um tipo de caatinga arbórea, ou seja, com árvores de grande porte, como pau d’arco, barrigudinha, pereiro, angico, mulungu, umburama, craibeira e juazeiro.

Fertiirrigação

O Instituto do Meio Ambiente recebeu os planos de fertiirrigação por meio de vinhaça das usinas Laginha, Guaxuma, Uruba, Caeté, Marituba, Cachoeira, Santa Clotilde, Serra Grande, Paísa, Sumaúma, Porto Alegre, Porto Rico e Coruripe. Segundo Álder Flores, algumas usinas poderão sofrer restrições por não se adequarem ao uso correto da vinhaça (utilizado como fertilizante).

“As usinas apresentaram seus planos de aplicação de efluentes no campo de acordo com a instrução técnica elaborada pelo IMA, que determinava as diretrizes básicas para a apresentação dos projetos”, disse Álder, ressaltando que na próxima semana será iniciada a vistoria em campo e, posteriormente, serão analisados os planos de fertiirrigação.

O IMA está cumprindo as exigências contidas nas resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente, que prevê restrições para quem não obedece a legislação. “As usinas podem usar a vinhaça como fertilizante, mas têm que se adequar à legislação para evitar desastres como o ocorrido com a Usina Santa Clotilde este ano”, disse.

Vistoria

Técnicos da Gerência de Controle Ambiental do IMA detectaram esta semana irregularidades na empresa de fertilizantes Profertil, localizada em Santa Luzia do Norte. De acordo com a vistoria, a empresa está descumprindo duas restrições impostas na licença ambiental. Uma delas é a não-instalação de medidores contínuos de concentração de SO2 na descarga de efluentes gasosos. A outra é a não-implantação de um sistema de monitoramento de contração de particulados no perímetro da fábrica e seus arredores.

A Profertil foi autuada e notificada a apresentar uma auditoria ambiental da indústria para avaliar todo o sistema de tratamento de efluentes. De acordo com Ricardo César, presidente do IMA, a empresa terá que resolver logo a situação sob o risco de ser interditada.

Fonte: Secom

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *