Selo Unicef volta a discutir desigualdades sociais entre os alunos da rede pública

A coordenação do Selo Unicef voltou a se reunir hoje, na Escola Superior de Magistratura de Alagoas (Esmal), com o objetivo de reduzir as desigualdades sociais entre os alunos da rede pública de ensino. A secretária municipal de Educação, Betânia Toledo, coordena o projeto no Estado. O encontro desta terça teve como temática central “O município e a criança de até seis anos”.

Além disso, também foi realizado o fórum comunitário, que representa uma etapa de avaliação da gestão de políticas públicas, no qual se discutiu um estudo sobre a metodologia com vistas a possibilitar a realização do fórum em cada município, até o final de outubro.

Durante o encontro foram apresentados os projetos referentes a programas de rádio, que estão sendo produzidos para incentivar a participação política dos alunos. Os temas abordados são educação ambiental, eleitor jovem e cultura popular.

O Selo traz benefícios especificamente para a criança e o adolescente dos Estados da região do Semi-árido brasileiro, uma região composta por 1.500 municípios em 11 Estados. A região tem problemas como taxa de mortalidade infantil, acima da média nacional, o número de crianças vivendo em famílias com renda menor que meio salário mínimo por pessoa e na evasão escolar – pois as crianças abandonam cedo a escola para ajudar a família na renda.

Entre as metas propostas, o município tem de trabalhar por uma educação de qualidade e contra a exploração do trabalho infantil, a distorção série/idade e o abandono em sala de aula. E para a conquista do Selo, uma comissão foi formada, com a participação de todos os participantes da reunião. Também foi discutida a ampliação no número de vagas ofertadas na rede municipal. A meta da Semed para 2006 é aumentar o número de estudantes em 10mil, a mesma marca do ano passado.

Nos municípios do Semi-árido alagoano, paraibano e pernambucano, contabiliza-se 299 equipes empenhadas em concluir o relatório da Educação Ambiental, Comunicação e Cultura, bem como em agilizar o envio de dados para a análise de impacto e gestão. Com isso, a adesão ao Selo Unicef, ocorrida no ano passado, reflete um elevado nível de mobilização para a conquista desse objetivo.

Fonte: Semed

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *