Vereadores e entidades debatem inclusão dos portadores da Síndrome de Down

Audiência Pública proposta por Tereza Nelma também concedeu comenda Gerônimo Siqueira a ativista

Vereadores e entidades debatem inclusão dos portadores da Síndrome de Down

A Câmara Municipal de Maceió realizou na manhã desta segunda-feira (01), audiência pública sobre a Síndrome de Down. O objetivo do debate, proposto pela vereadora Tereza Nelma (PSDB), foi discutir o processo de inclusão dos portadores da síndrome na sociedade.

A vereadora defendeu mais investimentos em políticas públicas nas áreas de Educação, Saúde e mais oportunidades aos portadores da síndrome. Para ela, a presença do Poder Público precisa vir por inteiro e, além de investimento, é necessário ampliar o olhar para o problema. O governo precisa apoiar as ações de instituições do Terceiro Setor.

Segundo Tereza, os portadores precisam ser vistos pelo potencial que podem desenvolver. “São pessoas que precisam apenas de oportunidade. Precisam estudar em escolas em que sejam encaminhados, estudar cinco dias por semana e não apenas três, como acontece atualmente. Ainda há muito por se fazer. Eu acredito que precisamos estar unidos nessa causa”, afirmou.

Políticas públicas e oportunidades para os portadores de deficiência também foram defendidas por Valquíria Lucio, presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência e da Associação Família Down. Atuando na área há mais de três décadas, ela assegura que as políticas públicas para os portadores da síndrome são insuficientes. É preciso proporcionar oportunidades independente de classe social.

“As políticas públicas para a pessoa com deficiência precisam ser eficientes, amplas e irrestritas na Educação, Saúde, Transporte e em todas as áreas. A administração municipal, conduzida pelo prefeito Rui Palmeira, olhou com mais cuidado para essas pessoas. E isso tem sido positivo tanto na área de Saúde quanto na área de Educação. Essas oportunidades precisam ser ampliadas para todo estado. É preciso sensibilidade. ”, afirmou Valquíria Lucio.

Durante a sessão, foi entregue a comenda Gerônimo Siqueira à ativista Nilce Bandeira por sua contribuição na luta pela valorização e respeito da pessoa com deficiência. A homenageada conhece de perto os problemas enfrentados pelos portadores de Down, ela mesma mãe de Flávia, uma pedagoga de 30 anos, cujo namorado, o escritor e ativista gaúcho, Vinícius Ergang Streda, é também portador da síndrome.

Em discurso emocionado, Nilce falou de amor e sonhos. “Amor e respeito são palavras chaves na relação com as pessoas com deficiência. É necessário que possamos nos colocar no lugar do outro. Precisamos de ações reais, para dar condições as pessoas com deficiência a se desenvolveram. Esses alagoanos só precisam ter oportunidade, pois são pessoas que amam e sonham, e precisam dessa oportunidade para viver em plenitude”, finalizou.

No final da sessão, houve o lançamento do livro “Nunca deixe de sonhar – Os sonhos e a vida de um homem com Síndrome de Down”, de autoria de Vinícius Ergang Streda e Carina Streda. O livro relata suas vivências na família, na comunidade e nas escolas especial e regular.

Estiveram presentes à sessão, a vereadora Silvana Barbosa, Heloisa Helena Mota Bandini (Sesau), Gilberto Soares (Associação de Pais dos Autistas), Rossilânia dos Santos (Casa do Especial), FelixVilanova (Conselho Regional dos Psicólogos) e Antonio de Pádua (Associação Amor 21).

Down- A síndrome de Down é uma alteração genética produzida pela presença de um cromossomo a mais, o par 21. Cientificamente, foi demonstrado que pode acontecer igualmente em qualquer raça, sem nenhuma relação com o nível cultural, social, ambiental e econômico. E Apesar de não ter cura, é possível uma vida saudável para os portadores da síndrome, que atualmente é mais uma questão de educação do que de saúde.

Fonte: Ascom Câmara

Veja Mais

Deixe um comentário