Sábado astronômico: Vênus e Júpiter se alinham no céu em ‘balé cósmico’

Lua, Vênus e Júpiter poderão ser vistos próximos no céu em todo o país.

Arquivo Pessoal/ Rafael DefavariCéu a partir do Observatório de Campinas

Céu a partir do Observatório de Campinas

Além do descanso, o fim de semana reserva um belo evento para os amantes de astronomia. Neste sábado (18), poderemos ver uma formação, com o aspecto de uma cruz, gerada pela posição no céu da Lua, dos planetas Júpiter e Vênus e da estrela Régulo, a principal (alfa) da constelação do Leão.

Segundo Jair Barroso, astrônomo do Observatório Nacional e colaborador da Olimpíada Brasileira de Astronomia, eles poderão ser vistos próximos, logo ao anoitecer, no lado poente, ou seja, lado onde o Sol se põe.

Barroso diz que Vênus, mais brilhante que Júpiter, estará no topo da cruz, tendo Régulo como seu “braço direito”. Aqueles que tiverem telescópios, mesmo que de pequeno porte, poderão observar Vênus com uma forma parecida com a da Lua devido ao modo como o Sol os está iluminando.

– Apesar de não se apresentar muito alto em relação ao horizonte, esse acontecimento poderá ser apreciado em todo o território nacional. Porém, quanto mais formos para oeste, a cruz aparecerá progressivamente deformada – relata.

Ele lembra ainda que é preciso, em qualquer local que a pessoa estiver, que não haja grandes obstáculos, como, por exemplo, casas e morros, nessa direção.

– Como a Lua estará saindo da fase Nova, ela será visível como a forma de uma fina foice brilhante iluminada pelo Sol. Em locais pouco iluminados, será possível apreciar a luz cinzenta do restante de seu disco, que nada mais é do que a luz do Sol refletida pela Terra sobre o nosso satélite natural – esclarece.

Vista da Terra, a aparência da configuração geométrica desses astros é puramente perspectiva, explica Barroso. “Caso estivéssemos vendo esse fenômeno de longe, de outro lugar do espaço, a aparência poderia mudar completamente. Já, em termos de distâncias, a Lua será a mais próxima de nós, a seguir estará Vênus, depois Júpiter e, muito, muito mais distante, a estrela Régulo”.

– Sugerimos também que as pessoas observem a mesma região do céu na noite seguinte, para que constatem facilmente o deslocamento da Lua em 24 horas devido à sua translação em torno da Terra. Esse movimento é que responde por seu deslocamento mensal no céu no sentido leste – diz.

Fonte: *Especial para o Alagoas24Horas

Veja Mais

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *