Blog

Crônicas e Agudas por Walmar Brêda

Walmar Coelho Breda Junior é formado em odontologia pela Ufal, mas também é um observador atento do cotidiano. Em 2015 lançou o livro "Crônicas e Agudas" onde pôde registrar suas impressões sobre o mundo sob um olhar bem-humorado, sagaz e original. No blog do mesmo nome é possível conferir sua verve de escritor e sua visão interessante sobre o cotidiano.

Todas as postagens são de inteira responsabilidade do blogueiro.

A escolha

Muito se canta aos quatro ventos sobre a “tal Felicidade” -afinal, não seria ela um dos  objetivos a ser alcançado por nós, seres humanos ?

Acontece que, com o passar dos anos, vamos ressignificando nossos valores e objetivos e em certo momento somos confrontados com alguns dilemas, como por exemplo:
.
.
-Se tivesse de escolher entre ter Felicidade  e ter Paz, qual você escolheria?
.
.
Ultimamente tenho feito essa pergunta a vários amigos como provocação filosófica ou mesmo como uma pergunta boba no meio de uma prosa despretenciosa.
A resposta unânime que ouço vem quase num suspiro: “Paz, é lógico”; contrariando o imaginário popular que colocaria a Felicidade como a grande conquista a ser alcançada.
.
.
Pois é, parece que a Felicidade leva a fama, mas quem está batendo um bolão é a sua prima menos cobiçada.
Você deve estar se perguntando se ambas não seriam partes de um mesmo contexto ou mesmo dependentes entre si.  Mas, isso não é verdade. A Felicidade  muitas vezes nos tira a paz com seus picos de euforia e bem estar -o fato é que, quando experimentarmos momentos de Felicidade,  já começamos a perder  um pouco de Paz apenas pelo temor justificável de sua inevitável perda.
 Você já se perguntou se à essa altura do campeonato preferiria a emocionante Montanha Russa ou o pacato Barquinho do Amor num parque de diversões?
Pois bem, abriria  mão de um tiquinho de felicidade por um tantinho de paz. Se é preguiça ou sabedoria eu não sei, o fato é que a paz, hoje em dia,  me apetece bem mais, trazendo  consigo a serenidade dos pensamentos e leveza das sensações.
  O ideal mesmo  seria ter as duas, mas em caso de escolha, diria prontamente parafraseando o poetinha Vinicius:
“Me perdoem os felizes, mas ter paz é fundamental”.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *