Produção de peixes cultivados em Alagoas cresceu 135%

Aumento da produção do polo do Rio São Francisco, que abrange BA, PE e AL, contribuiu decisivamente para o excelente resultado do estado

Com diversos rios, lagos e açudes, com rede hidrográfica que corre diretamente para o oceano Atlântico, desaguando no Rio São Francisco, Alagoas possui fartura de um recurso essencial para a Piscicultura: a água. Segundo o Anuário Peixe BR, levantamento da Associação Brasileira da Piscicultura 2019o estado produziu 8.250 toneladas de peixes de cultivo em 2018, com aumento de 135,7% em comparação a 2017 (3.500 t).

Destaque para a Tilápia, responsável por 6.600 t, seguida pelos peixes nativos, com 1.500 t. Outras espécies (Carpa, Truta e Panga) foram responsáveis por 150 t. Ainda segundo o Anuário Peixe BR, apesar de secas prolongadas em diversas localidades, a produção da região Nordeste cresceu 20,6%, totalizando 134.330 toneladas nos nove estados (BA, SE, AL, PE, PB, RN, CE, PI, MA).

“Apesar de ter sido a Piscicultura que mais cresceu em 2018, Alagoas enfrenta alguns gargalos à ampliação da atividade. Um exemplo é a complexa regularização ambiental que afeta, não somente o Nordeste, mas todas as regiões do país. Outro ponto crucial é a falta de unidades processadoras de peixes cultivados no estado. Atualmente, não existe nenhuma indústria local, sendo a mais próxima em Paulo Afonso (Bahia). Felizmente, há expectativa de que seja inaugurada ainda no primeiro semestre de 2019 a primeira unidade no oeste de Alagoas: a Cia dos Frios”, afirma Francisco Medeiros, presidente executivo da Peixe BR.

Produção nacional: o Brasil produziu 722.560 mil toneladas de peixes de cultivo em 2018. Esse resultado é 4,5% superior ao de 2017 (691.700 t). A tilápia é a mais importante espécie de peixes cultivados do Brasil. Segundo o Anuário da Peixe BR, a espécie teve crescimento de 11,9% em relação ao ano anterior (2017), com 400.280 toneladas, representando (55,4%) da produção brasileira de peixes de cultivo. Esse resultado coloca o Brasil entre os quatro maiores produtores do mundo, atrás de China, Indonésia e Egito, e à frente de Filipinas e Tailândia. Ainda segundo o Anuário da Peixe BR, a categoria de peixes nativos representou cerca de 39,84% (287.910 toneladas) da produção total, liderada pelo Tambaqui.

Para mais informações sobre o Anuário Peixe BR da Piscicultura 2019, baixe a edição digital em: https://www.peixebr.com.br/anuario-peixe-br-da-piscicultura-2019/

Fonte: Assessoria

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações