Mulher de PM que matou a cunhada alega que tiros foram acidentais

AquiAcontece/Arquivo

Acesso ao Pontal do Peba

A esposa do policial militar da reserva acusado de matar a cunhada com dois tiros, na madrugada desta segunda (16), em uma casa de veraneio no Pontal do Peba, em Piaçabuçu, usou as redes sociais para afirmar que o episódio foi um ‘acidente’.

Segundo a mulher, que limitou o acesso às suas contas, o marido teria atirado – duas vezes – contra a cunhada ao ser acordado para se alimentar após beber durante todo o dia. A polícia foi acionada por volta das 4h30, mas já encontrou a vítima em óbito. A mulher foi identificada pelo 11º BPM como Valdimere da Silva, de 48 anos.

Na versão da esposa do PM, Valdimere teria ido acordar o ex-militar para que ele se alimentasse e este reagiu efetuando os dois disparos contra a cabeça da vítima. Em seu depoimento, a mulher classificou o episódio como “tragédia que pode ocorrer em qualquer família”.

Nas redes sociais da esposa do militar é possível observar Valdimere em vários eventos em companhia do casal. Após os tiros, o militar fugiu do local. O corpo da vítima foi encaminhado ao IML de Arapiraca e deve ser liberado nesta terça (17) para sepultamento.

 

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações