Polícia


Empresário carioca veio a Alagoas realizar sonho de ser chef de cozinha

FacebookHenrique sonhava ser chef de cozinha

Henrique sonhava ser chef de cozinha

Mais um sonho foi interrompido por um sequestro ainda sem explicação e que pode ter um desfecho trágico. Familiares e amigos do jovem Henrique Ramos de Oliveira, 24, aguardam com expectativa a solução do mistério que envolve o seu desaparecimento, ocorrido na última segunda-feira, 10, quando teve a casa invadida por elementos que o espancaram o levaram-no à força.

Um corpo encontrado ontem (12) na cidade de São Luiz do Quitunde, pode ser o do jovem empresário. O cadáver foi encontrado em avançado estado de decomposição, com as mãos amarradas e apresenta uma tatuagem semelhante a que o empresário carioca possuía nas costas. O corpo será submetido à necropsia para determinar a causa da morte e a identidade oficial.

Henrique, que é conhecido como Sapo, se instalou em Alagoas há cerca de oito meses. Na bagagem um sonho, se tornar um chef de cozinha conhecido nacionalmente. Iniciou seu sonho abrindo um pub na cidade de São Miguel dos Milagres, que recentemente se tornou um dos destinos mais concorridos do litoral norte do Estado, com cenários deslumbrantes e festas privadas que deram início à rota de milagres.

LEIA TAMBÉM

Empresário carioca é sequestrado em São Miguel dos Milagres; família vem a AL
Familiares e amigos de empresário desaparecido prestam depoimentos à PC
Grupamento Aéreo localiza corpo que pode ser de empresário desaparecido

Formado em Gastronomia e estudante de Direito, Henrique é natural de Barra Mansa, no Rio de Janeiro, e em pouco tempo se instalou e abriu na cidade alagoana. Descrito pelos amigos como gentil e educado, ninguém sabe a quem atribuir seu sequestro, ocorrido sob circunstâncias anormais. O jovem teve a casa, onde também funcionava o estabelecimento, invadida, foi agredido juntamente com um amigo, mas apenas ele foi levado pelos suspeitos, que se identificaram como policiais e usavam balaclavas.

Ontem, o amigo de Sapo prestou depoimento ao delegado Felipe Caldas. A mãe e a irmã do jovem também depuseram. Elas vieram a Alagoas assim que foram informadas do desaparecimento. Nas mídias sociais de familiares de Henrique o desfecho trágico é dado como certo e as mensagens de apoio e perplexidade invadiram seu perfil na rede social.

Caberá, agora, à polícia de Alagoas esclarecer o crime.

A Perícia oficial emitiu nota no final da manhã desta quinta (13) onde afirma:

1° O corpo achado em estado avançado de decomposição em um canavial no litoral norte ainda será necropsiado. Por tanto ainda não temos a causa da morte.

2° Até o momento nenhum familiar do empresario desaparecido chegou ao IML trazendo documentos da vítima para realizar o procedimento de identificação.

3° Uma equipe do Instituto de Identificação esta no IML para fazer o exame de necropapiloscopia que consiste na comparação das digitais do corpo com um documento oficial ou com a ficha de identificação civil.

4° Caso a familia não apresente uma RG e o desaparecido não tiver tirado uma carteira de identidade em Alagoas, será necessário a solicitação da ficha civil do estado de origem da vítima, o que pode levar dias.

5° caso não seja possível a identificação pela necropapiloscopia, o segundo passo seria o exame pela arcada dentaria, mas para isso a família precisaria apresentar a documentação ortodontica da vítima.

6° Por fim, caso nenhum desses exames seja possível a identificação será realizado o exame de DNA no novo laboratório do Instituto de Criminalística.


Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>