Mercadante quer que CPI investigue esquema do PSDB

O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), pediu à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito dos Correios que investigue, com rigor, todas as denúncias que pesam sobre os membros do Partido dos Trabalhadores com relação a recebimento do chamado "mensalão" e do uso de dinheiro não declarado para financiamento de campanhas políticas.

Ele ressaltou no entanto que a comissão deve aprofundar, também, o exame de esquemas semelhantes colocado em prática por outros partidos políticos, como o PSDB.

Mercadante fez o apelo ao comentar matéria de capa publicada nesta terça-feira (26) pelo jornal O Globo. De acordo com a matéria, o publicitário Marcos Valério já havia feito em 1988, com a coligação do então governador de Minas Gerais – atual senador Eduardo Azeredo (PSDB), candidato à reeleição – o mesmo tipo de triangulação repetido em 2003 com o PT no chamado esquema "mensalão", e que envolveu R$ 11,7 milhões.

As denúncias, conforme avaliou Aloizio Mercadante, mostram que não é de hoje que existe uma espécie de padrão na obtenção de empréstimo bancário triangular – envolvendo bancos, candidatos e empresas de publicidade – com um detalhe que considera grave: o dinheiro não é declarado.

Mercadante espera que as denúncias publicadas por O Globo, a exemplo das relacionadas a membros do seu partido, sejam investigadas e esclarecidas "doa a quem doer". Mas estranhou que somente agora, depois de decorridos mais de 50 dias da publicação das primeiras denúncias envolvendo pagamento de "mensalão" e empréstimos triangulares envolvendo candidatos do PT, as denúncias contra membros de outros partidos comecem a aparecer. E indagou: "Será que o PSDB não sabia disso?".

Defesa

Em resposta, o líder do PSDB, senador Athur Virgílio (AM) defendeu o comparecimento espontâneo de Eduardo Azeredo à CPI dos Correios para que esclareça todas as denúncias. Somente dessa maneira, observou, outros parlamentares, a exemplo do deputado José Dirceu, possam também ir à comissão "e falar tudo o que sabem sobre o ‘mensalão’ e outros tipos de corrupção dentro do governo".

O senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), em aparte, estranhou que o governo tente comparar o escândalo do PT, de caráter nacional, com as denúncias envolvendo Eduardo Azeredo, restritas à esfera estadual. Mas defendeu a apuração das denúncias.

Fonte: Agência Senado

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações