Salgueiro quebra tabu de 106 anos e é campeão pernambucano

Após empate no tempo regulamentar dos dois jogos, Carcará do Sertão venceu o Santa Cruz nos pênaltis por 4 a 3

O Campeonato Pernambucano tem um campeão inédito. O Salgueiro, fundado em 1972 e refundado em 2005, venceu o Santa Cruz nos pênaltis e conquistou sua primeira taça na história. Além disso, o Carcará do Sertão quebra um tabu histórico: nunca um time do interior havia levantado a taça.

LONGOS TABUS…

Em 106 edições do Campeonato Pernambucano, apenas times de Recife haviam conquistado o troféu. Ao todo, sete equipes haviam sido campeãs: Sport (42), Santa Cruz (29), Náutico (22), América (6), Torre (3), Tramways (2) e Flamengo do Recife (1). Com isso, o Carcará do Sertão quebra o tabu e torna-se o primeiro clube interiorano a soltar o grito de campeão.

Igualmente, outro tabu foi quebrado: nos últimos 76 anos, desde 1944, nenhum time fora Náutico, Santa Cruz e Sport havia sido campeão. O último a ganhar a taça local fora do Trio de Ferro da capital havia sido o América, hoje na segunda divisão do campeonato. Com isso, o clube sertanejo faz história e escreve o seu nome no livro de campeões do futebol pernambucano.

O JOGO

Dentro de campo, a exemplo do primeiro jogo, pouco se viu. Após empatarem a ida por 1 a 1 em jogo truncado, Santa Cruz e Salgueiro seguiram apostando na proposta de marcar forte e diminuir espaço dos adversários. No primeiro tempo, o Santa Cruz teve um gol anulado em lance duvidoso, aos 15 minutos. Jeremias mandou para as redes, mas foi assinalado impedimento.

Pouco depois, o Santa Cruz teve boa chance em falta frontal próxima a área, mas ficou nisso. Na volta do intervalo, apenas um lance de perigo: aos 35 minutos, o goleiro César Tanaka foi obrigado a fazer boa defesa em um ataque coral. Com a baixa produção o placar acabou zerado e foi para os pênaltis.

PÊNALTIS

Nas cobranças, Santa Cruz e Salgueiro começaram bem e acertaram as três primeiras rondas. Na quarta, Victor Rangel chutou para fora e deixou os sertanejos na frente. A vantagem só não foi melhor aproveitada porque Ranieri também desperdiçou a sua oportunidade de marcar.

Na última cobrança das penalidades regulares, o Carcará do Sertão voltou a ficar na frente. Após Ranieri desperdiçar o quarto chute dos sertanejos, André mandou forte na trave e perdeu o quinto do Santa Cruz. Com isso, coube a Muller Fernandes, vice-artilheiro do campeonato, mandar a bola para as redes e escrever a história em nome dos sertanejos.

Fonte: AFI

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *