Veja cinco dicas para manter seu voto firme sem brigar com a família

Não é de agora que as eleições deixam os ânimos mais exaltados. Porém, este foi um ano bastante peculiar quando o assunto é a escolha do candidato à presidência do Brasil e chegou a trazer à tona cenas de violência e agressividade entre eleitores de partidos distintos.

O terapeuta e especialista em comportamento humano William Sanches lembra que é um momento de pôr o pé no freio quando as brigas iniciarem e fazer o possível para manter relações respeitosas. Para isso, ele enumerou cinco dicas básicas e, ao mesmo tempo, cruciais:

1 – Primeira coisa é estabelecer regras internas: até onde estou disposto a ir com minha opinião. Da mesma forma, até onde vou aceitar a opinião do outro sem tirar a minha paz.

2 – Seja educado a ponto de “sair de perto” quando o assunto for esse. Ou simplesmente dizer “prefiro não falar sobre esse assunto”.

3 – Você pode falar “meu voto já está decidido” sem precisar dizer qual é.  Afinal, ele é secreto e ninguém é obrigado a revelar. Está tudo bem falar “não” para quem questiona. Quem ama também fala não.

4 – Se quiser falar, diga bem do seu candidato, mas evite falar mal do outro. A ofensa pode iniciar sem que os lados percebam. Se eles discordarem de algo, passe batido. A opinião deles é algo externo, não representa quem você é muito menos sua decisão de voto. Seja firme e gentil ao mesmo tempo.

5 – Sempre quando for usar alguma fala a favor de seu candidato, deixe claro o quanto a amizade, o amor e o respeito por seus familiares é importante, acima de qualquer opinião. Inicie suas frases sempre ressaltando isso.

“Evite também colocar provocações no grupo da família, figurinhas e, principalmente, fake news. Tome muito cuidado com notícias que você passa para a frente. Às vezes, você está num ânimo tão grande de convencer o outro de que o seu candidato é melhor, que acaba colocando nos grupos aquelas mensagens que estão mantendo os valores falsos de um outro candidato e que você nem sabe se são verdade”, orienta.

Outro ponto muito importante ressaltado por Sanches: não passe para frente notícias ruins do outro candidato, porque querer mostrar ao outro que você está certo e ele errado só vai levar a mais brigas e discussões. “E nada disso vale a pena. Nós estamos em um momento que precisamos pesquisar, olhar a fundo e escolher um bom candidato. Porque se você não quer porcaria na sua vida, se você não quer briga na sua vida, não quer ter problemas, não coloque problema nas urnas. Pesquise, estude e escolha o melhor de acordo com os seus valores, com os resultados que ele já deu ou te propõe a dar”, completa.

Ele também destaca que atacar o candidato de outra pessoa fervorosamente em uma discussão pode ser também um ataque aos próprios valores daquela pessoa, algo que é muito forte e pessoal de cada um. Para esses momentos, ele indica sempre iniciar a frase dizendo o quanto ama e respeita o outro, incluindo sua decisão política. “Pode parecer difícil, mas se você achar muito complicado ou que tem um muro muito grande aí, é porque o seu ego está muito elevado. Bem, você tem razão na sua decisão, mas a minha eu fico com o que eu acho melhor. Então, eu dou ao outro o direito de ser quem ele é, mas a mim eu dou o direito de permanecer sendo quem eu sou e isso é o respeito. Aí você derruba aquele muro que está entre as duas opiniões. E o limite é exatamente o qual eu mantenho meu respeito e respeito você”, finaliza.

Sobre William Sanches

William Sanches é Terapeuta e autor de mais de 20 livros. Especialista em Comportamento Humano e Reprogramação Neurolinguística. É pós-graduado em Neurociências e Comportamento pela PUC-RS.  Também cursou Letras, Pedagogia e é pós-graduado em Literaturas, Educação, Psicologia Positiva e Programação Neurolinguística. Estudou as Questões Sociais do Novo Milênio na Universidade de Coimbra, em Portugal.  

Veja Mais

Cuidado com a dengue!

Com o verão, o receio de outra epidemia da dengue voltou a inquietar a mente de autoridades sanitárias e do...

Deixe um comentário

Vídeos