Mãe de modelo morta no Chile desabafa após prisão de empresário: ‘Alívio’

Homem está preso preventivamente acusado de feminicídio. Nayara Vit morreu em julho de 2021 após cair do 12º andar do prédio em que morava no Chile.

Nayara em foto publicada em rede social no dia 15 de junho de 2021 — Foto: Redes Sociais/Reprodução

A família de Nayara Vit, modelo que morreu em 2021 após cair do 12º andar do prédio que morava no Chile, sentiu alívio ao ver que o empresário Rodrigo Del Valle Mijac, o acusado pela morte, foi preso.

A detenção ocorreu 1 ano e 9 meses depois do assassinato.

“Para a gente, foi um grande alívio. Foi surpresa. Estávamos desesperançados”, afirmou a mãe da vítima, Eliane Marcos Vit.

Nayara tinha 33 anos e morava há 16 anos no Chile. No dia da morte, em 7 de julho de 2021, ela estava no apartamento com o então namorado e a filha, na época com 4 anos (fruto de outro relacionamento). A babá da criança também estava no local. A modelo caiu do 12º andar do prédio onde morava. O g1 não conseguiu contato com a defesa do empresário.

A mãe, que mora em Porto União, no Norte de Santa Catarina, contou que soube da prisão através da advogada da família. “Avisou que o Ministério Público [do Chile] tinha representado na quinta-feira [13] e que seria preso na sexta-feira [14]”.

De acordo com o Poder Judiciário chileno, o empresário foi preso preventivamente na sexta. Ele foi denunciado pelo Ministério Público do país como autor de feminicídio.

“Para ser bem franca, nós estávamos bem desesperançosos. Eu estive no Chile duas vezes, estive com a fiscal que estava com a causa, e ela me disse que estava trabalhando, que era complexo, que eu tivesse paciência. A gente espera, mas demora tanto que acha que não vai acontecer mais nada”, declarou a mãe.

Eliane relatou que a fiscal do Ministério Público chileno juntou provas científicas e testemunhais. O réu e a modelo estavam junto há sete meses. Como o casal estava junto no período mais severo da pandemia da Covid-19, a família só conhecia o empresário por vídeo.

“A gente espera a condenação máxima para o crime que ele cometeu”, resumiu a mãe.

A filha de Nayara ficou com o pai, que não é o empresário.

Acusação

O empresário foi encaminhado ao Centro de Detenção Preventiva de Santiago. A juíza Ximena Rivera Salinas considerou que a liberdade dele constituiria um perigo para a segurança da sociedade.

Na decisão, ela escreveu que o crime foi um ato de violência de gênero “sendo, por isso, um fato particularmente grave e sendo esta a principal razão do tribunal, que estima que a liberdade do acusado é perigosa para a segurança da sociedade”.

Segundo a denúncia do Ministério Público chileno, o crime aconteceu por volta das 23h de 7 de julho de 2021. A modelo chegou em casa e houve uma discussão com o empresário.

Em seguida, ele a agrediu fisicamente, ocasionando uma fratura na mão esquerda dela. A modelo grita por ajuda e o empresário, então, a sufoca e a joga de um dos terraços do prédio.

Fonte: g1

Veja Mais

Irã envia dezenas de drones para atacar Israel

Autoridades israelenses consideravam que ataque iraniano era iminente depois que o governo do Irã prometeu responder ao bombardeio israelense na embaixada do Irã na Síria, que matou comandantes da Guarda Revolucionária.

Deixe um comentário

Vídeos