Tia de mulher morta a tiros pela PRF diz que carro parou na blitz

Anne Caroline não resistiu e morreu no hospital. Pelo menos outra mulher foi ferida no episódio. Um agente foi preso.

TV Globo/Reprodução

A família de Anne Caroline Nascimento Silva, de 23 anos, que morreu após ser baleada durante uma blitz da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Rodovia Washington Luís (BR-040) na noite de sábado (17), diz que o carro onde a jovem estava, ao lado do marido, Alexandre, parou na abordagem, mas que os agentes federais atiraram. Pelo menos outra mulher foi ferida no episódio. Um policial foi preso.

“Na altura do Parque das Missões, o policial mandou parar o carro. Alexandre relatou que ligou a seta para encostar e ver o que estava acontecendo, porque os policiais queriam que eles parassem”, narrou Janete Bezerra do Nascimento, tia da vítima.

“E aí, acertou 10 tiros no carro do Alexandre. Nesses 10 tiros, um acertou a Carol na altura do baço. Ela ainda estava consciente e disse que não queria morrer, chorando muito”, emendou a tia.

O episódio foi por volta das 22h de sábado na pista sentido Rio de Janeiro da BR-040, na altura da alça de acesso para a Linha Vermelha, no limite de Duque de Caxias. Após ser baleada, Anne foi levada para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu e morreu. Ela era estudante de enfermagem e trabalhava vendendo celulares.

PRF fala em ‘veículo suspeito em fuga’
Em uma nota divulgada na tarde deste domingo (18), a PRF tinha falado em um “acompanhamento tático a um veículo suspeito em fuga”. Até a última atualização desta reportagem, não se sabia se o carro a que a corporação se referiu era o de Alexandre e Anne Caroline ou se foi outro, que supostamente fugiu.

A nota disse ainda que “uma mulher de 23 anos [Anne Caroline] foi atingida por disparos que teriam sido realizados pela equipe da PRF”.

“A ocorrência foi encaminhada à Polícia Federal, no Centro do Rio, e o policial que efetuou os disparos foi preventivamente afastado das atividades operacionais e segue à disposição da Justiça”, emendou.

Outro veículo foi atingido
Outro motorista contou que, no mesmo local e horário, ficou no meio do tiroteio. E a mulher dele, que estava no banco do carona, foi baleada.

Claudia Maria da Silva dos Santos, 54 anos, foi levada para o Hospital Adão Pereira Nunes e estava internada no CTI na manhã desta segunda-feira (19) com quadro estável.

José Vitório disse que o casal voltava de uma festa de aniversário. “Quando chegamos na alça para pegar a Linha Vermelha, houve um tiroteio. Nós passamos ali no meio e fomos alvejados com um tiro que furou a lataria do carro de trás para frente e transpassou o peito da minha esposa”, descreveu.

“Sorte que tinha uma ambulância passando no momento em alta velocidade, porque já estava com um paciente dentro, mas mesmo assim levou a minha Claudia pro hospital”, lembrou José.

“O médico disse que ela se salvou por um milagre, por pouco não atingiu o coração dela”, destacou.

Inicialmente, a Polícia Rodoviária Federal tinha informado só ter identificado uma baleada no local — a jovem Anne Caroline. Agora, vai apurar se houve outras vítimas.

Veja Mais

Lilia Schwarcz toma posse na ABL

Historiadora e antropóloga é a quinta integrante feminina da atual configuração da Academia Brasileira de Letras. A academia conta com 40 'imortais' - 35 homens e cinco mulheres.

Deixe um comentário

Vídeos