Sem mortes, Alagoas registra mais de 350 casos de dengue em dois meses

Fiocruz

Mais de 350 casos de dengue foram registrados nos primeiros meses deste ano no estado de Alagoas. Os dados foram divulgados neste sábado, 2, pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

Ainda segundo a Sesau, entre os meses de janeiro e fevereiro, houve o registro de 357 casos da doença. Contudo, não há registro de mortes no período.

Com os dados, infectologistas consideraram que a situação no estado está sob controle.  Entretanto, a população alagoana não pode baixar a guarda, deixando os casos aumentarem desenfreadamente, como está ocorrendo em Estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Na manhã deste sábado, 02, o órgão de saúde promoveu o Dia D de Combate à Dengue. A ação de conscientização, que contou com a participação do titular da pasta, o médico Gustavo Pontes de Miranda, ocorreu na Avenida da Paz, no bairro Jaraguá, em Maceió.

“A população só precisa dedicar 10 minutos por semana para se proteger, eliminando os criadouros do Aedes aegypti. Para isso, cada alagoano tem que se transformar em um agente de endemias e fazer a busca ativa em sua residência, pois estudos apontam que, cerca de 75% dos criadouros do mosquito, estão dentro das casas”, frisou o gestor.

A iniciativa, que aconteceu em todos os 26 Estados brasileiros e no Distrito Federal (DF), conforme recomendação do Ministério da Saúde (MS), visa frear o aumento de notificações de dengue no país. Isso porque, o Brasil vem enfrentando uma epidemia da doença, uma vez que, nos primeiros dois meses deste ano, foram notificados 991.017 casos suspeitos, sendo 674 em investigação e 207 óbitos confirmados.

Ações

Durante o evento, técnicos e gestores da Sesau abordaram pedestres, motociclistas e motoristas e distribuíram panfletos educativos. O material evidenciava as medidas a serem adotadas para eliminar os focos do Aedes aegypti, como colocar areia nos vasos de plantas, manter fechadas as caixas d’água, realizar a limpeza das calhas, guardar os pneus e garrafas em locais cobertos, eliminar a água das garrafas, potes e vasos e não acumular entulhos e sucatas.

Acompanhado da tia, Paula Freitas, o estudante Marcondes Ricardson Torres, de 8 anos, participou do Dia D de Combate à Dengue e aprendeu, com detalhes, como ocorre o ciclo de desenvolvimento do Aedes aegypti. Isso porque, paralelamente à panfletagem, uma tenda foi montada em frente à Sesau, e a população pode conferir com os supervisores de endemias, todo o processo até o mosquito se tornar adulto, quando dissemina o arbovírus da dengue.

“Na escola os professores orientam sobre as medidas para evitar a dengue, mas, aqui, tive a oportunidade de conhecer como o mosquito Aedes aegypti se desenvolve. Aprendi que a fêmea põe o ovo em um recipiente com água limpa e parada, depois ele se transforma em larva, pupa e, em seguida, se torna adulto, replicando a doença para os humanos”, salientou, ao recomendar que é preciso eliminar os recipientes que acumulam água e ficam expostos.

Veja Mais

O que acontece com os pulmões quando você para de fumar?

Cigarro tradicional ou eletrônico "detonam" estruturas pulmonares e comprometem outras partes do corpo. Apesar do impacto do tabagismo, pneumologista Elnara Negri alerta que parar de fumar sempre vale a pena, pois órgão têm boa capacidade de se recuperar das agressões.

Deixe um comentário

Vídeos