Cuba Gooding Jr. é acusado de assédio sexual por mais sete mulheres

Sete novas mulheres se apresentaram alegando assédio sexual pelo ator Cuba Gooding Jr., de 51 anos, elevando o número de acusadoras para 22. De acordo com os documentos obtidos pelo portal Page Six, uma das mulheres acusa o ator de apalpá-la e beijá-la à força enquanto eles participavam do Festival de Cinema de Sundance, rasgando suas calças e só parando quando ela mordeu seu rosto.

O caso aconteceu em janeiro de 2009, enquanto participava do festival em Park City, Utah, Gooding supostamente convidou uma mulher para outro evento, e a dupla foi a um show. Quando a mulher disse ao ator que iria embora, ele “pareceu agitado” e se ofereceu para levá-la para fora. Em um corredor isolado nos fundos do local, ele “começou a beijá-la sem consentimento” e quando ela o afastou, notando que Cuba Gooding Jr. era casado, ele “colocou a mão nas nádegas dela”, afirma o depoimento.

Em seguida, ele colocou “a mão dele com força na região da virilha das calças dela, colocando os dedos no ânus dela” e rasgando a calça, dizem os promotores. O ator de ‘Jerry Maguire’ só deixou a mulher ir embora quando ela mordeu a bochecha dele, “fazendo com que ele recuasse”. A alegação é apenas uma de uma série de acusações contra Gooding, que remonta a 2003 e abrange seis estados: Nova York, Califórnia, Geórgia, Utah, Texas e Novo México.

Em Atlanta, em 2011, ele apalpou uma mulher e, quando ela o confrontou, disse algo como: “Eu sei que você quer ser atriz; eu posso arruiná-la”, afirma o documento. No Cafe Havana, em Malibu, Califórnia, em 2016, ele disse a uma mulher e à sua amiga: “Vocês vão fazer xixi em mim hoje à noite”. Em dezembro de 2018, no mesmo bar, ele disse à mesma mulher: “Você vai sentar no meu rosto, fazer xixi na minha boca e fazer xixi em cima de mim”.

“O comportamento passado do acusado mostra que ele rotineiramente se aproxima de mulheres em bares ou boates com as quais ele teve pouca ou nenhuma interação prévia e as toca de maneira inadequada”, argumentam os promotores nos documentos judiciais. Cuba Gooding Jr. enfrenta seis acusações de abuso sexual e toque forçado envolvendo três acusadoras. Os promotores estão pedindo a um juiz que permita que as outras 19 acusações sejam consideradas no julgamento.

O advogado de Gooding Jr., Mark Heller, disse em comunicado na segunda-feira que seu cliente “nega todas as alegações de conduta criminal”. “Infelizmente, as pessoas saem do trabalho, fazendo falsas acusações contra Cuba, como muitas vezes acontece quando uma celebridade é acusada pela Promotoria em um Fórum Público”, disse Heller.

“As alegações espúrias e inexpressivas oferecidas pelo Ministério Público são tão antigas e desatualizadas, sem detalhes e impedem que o Réu se defenda contra elas; portanto, demonstra que o motivo do Ministério Público em apresentar essas alegações inflamatórias não tem valor probatório, mas [foram feitas] meramente para obter uma vantagem contra o réu e influenciar o júri contra o réu”, completou.

Cuba Gooding Jr. deve voltar ao tribunal no dia 22 de janeiro.

Fonte: Monet

Veja Mais

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *