Acupuntura: os benefícios e os riscos da prática

Técnica milenar pode ser eficiente, se praticada por um especialista

A acupuntura é prática milenar utilizada em larga escala em países orientais, como China, Coréia e Japão, mas que ainda luta para ser inteiramente descoberta em países ocidentais Ainda assim, o método está disponível no Brasil no Sistema Único de Saúde (SUS), há mais de 20 anos. Ela é uma espécie de terapia que se utiliza de agulhas, para estimular pontos específicos com o objetivo de equilibrar a energia da pessoa e sua interação com o meio ambiente.

A acupuntura se baseia em intervenções realizadas em uma rede complexa de transmissão, que carrega a energia e que também nutre todo o corpo. Este sistema complexo permite que a energia seja levada de forma equilibrada a todos os tecidos, órgãos, vísceras, músculos, tendões e ossos.

Por isso, defensores e utilizadores da acupuntura acreditam que as dores e doenças são alterações no equilíbrio energético, seja no fluxo ou na concentração. As agulhas, quando aplicadas sobre algumas regiões específicas, são capazes de tratar diversas doenças físicas ou emocionais como sinusite, asma, enxaqueca ou artrite. Elas também podem melhorar o sistema imunitário.

Quando se aplica uma agulha em um determinado local, a energia é estimulada a fluir para determinados pontos. Esse estímulo viaja pelo corpo através de caminhos chamados meridianos. Esse mesmo estímulo atinge terminações nervosas que são ligadas com órgãos e vísceras.

A acupuntura também age como terapia preventiva. Além de aliviar a dor também evita que ela aumente e comprometa outros locais. Qualquer pessoa pode ser tratada com acupuntura, inclusive gestantes e idosos, desde que tenha a indicação correta e seja acompanhada por um profissional.

Pouco utilizada em atletas, a acupuntura também é uma poderosa aliada na cura de lesões físicas. “A acupuntura também pode ajudar na prevenção de lesões e colabora no tratamento de problemas de ordem emocional. Por ser um procedimento livre de medicamentos, evita que o profissional possa sofrer qualquer punição em relação a doping e mais: existem técnicas que promovem alívio imediato, sem a necessidade de tomar medicações analgésicas. Fora que a acupuntura auxilia também no tratamento de lesões já instaladas, como tendinites, inflamações, estiramentos, dores em geral, que podem atrapalhar a atividade física”, afirmou ao site QUEM o médico Marcus Vinícius Ferreira.

Mas a acupuntura também pode oferecer riscos se não for exercida por um especialista. Em entrevista ao site Carta Capital, Hildebrando Sábato, médico e presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura, órgão oficial da Acupuntura Médica no país, explica que, como prática da saúde, a acupuntura deve fazer parte de um encaminhamento posterior ao diagnóstico médico.

O risco de acupunturistas que não sejam formados em medicina é de que o tratamento com outras técnicas possa ser negligenciado. “Às vezes, a acupuntura não é o tratamento mais indicado”, completa.

Fonte: Assessoria

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *