Homem morto no dia em que saiu da prisão pode ter sido torturado

Kilderes havia sido preso duas vezes por furto e tentativa.

Cortesia

O homem que foi assassinado no mesmo dia em que ganhou liberdade, identificado como Kilderes Souza da Silva, 33 anos, já havia sido preso duas vezes pelos crimes de furto e tentativa.

A primeira vez que foi preso, no dia 15 de outubro do ano passado, Kilderes havia tentando furtar uma loja no bairro do Farol. Na ocasião ele foi autuado na Central de Flagrantes e em seguida solto em audiência de custódia.

A Polícia confirma que três dias depois o homem foi preso novamente, desta vez pelo crime de furto qualificado, quando arrombou uma loja no bairro da Gruta de Lourdes. Na ocasião ele estava com uma sacola contendo fios de cobre, três câmeras de circuito de segurança e três torneiras.

Ontem Kilderes foi assassinado com tiros na cabeça e teve pés e mãos amarrados. A polícia acredita que é um caso de execução e que antes de morrer ele foi torturado, depois desovado no trecho da rodovia que dá acesso ao município de Santa Luzia do Norte. No momento em que a Polícia, IC e IML chegaram ao local só encontraram com a vítima o alvará de soltura, com a data de ontem (25).

O caso deve ser investigado pelo delegado Manoel Wanderley que assume a delegacia distrital nas férias da titular, Fabiana Leão. Quem tiver informações sobre o crime pode ligar de forma anônima para o número 181.

Leia Mais: Homem é enforcado e morto a tiros no mesmo dia em que foi solto da prisão

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *