Jovem morre atingida por tiro em festa; guarda é preso e alega acidente

Um jovem de 19 anos morreu após ser atingida por um tiro durante uma ação da guarda municipal em uma festa clandestina, em Rio Claro (SP), entre o final da noite de sábado (1º) e início da madrugada deste domingo (2). Um homem de 29 anos também foi atingido e está internado.

Um guarda, que não teve a identidade divulgada, alegou disparo acidental e foi preso por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Ele pagou fiança e foi liberado.

Denúncia sobre festa e disparo
Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, a Guarda Municipal fazia a verificação de uma denúncia de festa clandestina com aglomeração, em uma rua no Jardim Panorama.

O boletim de ocorrência diz que 40 pessoas participavam de um baile funk e os guardas alegaram que os moradores ameaçaram jogar pedras quando as viaturas chegaram.

O guarda disse à polícia ter pensado que a arma estava descarregada. Ao colocar a bala de borracha, disparou acidentalmente, mas a espingarda estava com munição de verdade.

Segundo a Polícia Civil, Gabrielli Mendes da Silva e José Felipe de Lima Verneck, de 29 anos, foram atingidos. Ambos foram socorridos, mas Gabrielli não resistiu ao ferimento. Verneck continua internado na Santa Casa, mas o estado de saúde dele não foi divulgado.

Segundo a Delegacia Seccional de Rio Claro, o auto de prisão lavrado foi encaminhado à Justiça e ao Ministério Público. A delegacia também pede que testemunhas que tiverem informações do caso procurem a Central de Polícia Judiciária, na Rua 12 com a Avenida da Saudade.

“O compromisso da Polícia Civil é apurar por completo os fatos ocorridos de forma que a lei penal possa ser aplicada nos exatos termos correspondentes”, informou em nota.

O corpo de Gabrielli será velado a partir das 13h30, no Velório Municipal. O enterro está previsto para 16h30, no Memorial Parque das Palmeiras.

Prefeitura vai abrir inquérito interno
A Secretaria Municipal de Segurança apreendeu a arma do guarda, que ficará afastado das atividades operacionais até que a Polícia Civil conclua as investigações e a Justiça decida sobre o caso.

Um inquérito administrativo interno também será aberto pela Secretaria de Segurança para “apurar a conduta técnica do guarda com relação ao emprego dos procedimentos operacionais”.

“(…) o que estiver de acordo com a lei será cumprido. A Secretaria Municipal de Segurança lamenta profundamente o ocorrido, se solidariza com familiares e amigos das vítimas e se coloca à disposição. A Secretaria de Segurança lembra ainda que a guarda civil municipal vem prestando excelente trabalho de reforço na segurança pública no município e que a ocorrência foi um fato isolado”, informou a assessoria em nota.

Fonte: G1

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *