Ana Paula Renault processa ex-colegas de ‘A fazenda’ por ofensas: ‘Não é só pelo apelido de Annabelle’

Ana Paula Renault confirmou nesta quinta-feira que está processando, desde agosto de 2019, os seus ex-colegas de confinamento em “A fazenda” Evandro Santo e Nadja Pessoa. Num vídeo no Instagram, ela explicou os diversos motivos que teve para ir contra eles na justiça. Segundo a ex-BBB, uma das razões foi ela ter perdido contratos por ter sido chamada de homofóbica no programa da Record.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Já que nos stories está subindo fora de ordem, fica aqui o esclarecimento sobre o processo que, do nada, foi exposto somente HOJE na mídia.

Uma publicação compartilhada por Ana Paula Renault (@anapaularenault) em

“Eu tenho provas que perdi contratos por causa das ofensas que me proferiram. Eles me chamaram de homofóbica. Eu tinha trabalhos agendados para fazer presenças em festas LGBTQIA+. Depois de uma ofensa dessas, não fui mais. As presenças foram cortadas”, afirmou Renault.

Outra razão foi por conta do apelido que a ex-peoa recebeu dos colegas durante sua participação no programa. Ela era chamada de Annabelle e, depois, foi convidada pela Warner para fazer propagandas relacionadas ao filme na época da estreia no Brasil. Segundo Renault, Pessoa e Santo vieram cobrar parte dos lucros, dizendo que, graças a eles, ela estaria trabalhando.

“Em julho, a Warner estava lançando o filme ‘Annabelle’ aqui no Brasil e me contataram para promovê-lo. Me juntei com a empresária, na época, para fazer dos limões uma limonada. Já que eles fizeram tudo para esse apelido pegar. O que aconteceu? Os dois réus vieram à tona falar que ‘graças a mim, a um apelido cunhado por mim, que ela está trabalhando’, ‘esse trabalho que ela teve foi por minha causa’, ‘ela me deve dinheiro, ela tem que me pagar comissão’. Foi a gota d’água”, disse Renault.

A ex-BBB ainda listou outros motivos que a fizeram entrar com o processo. Ela relata que os dois ex-colegas disseram que ela era sustentada pelo pai, Gerardo Renault, um político de Minas Gerais.

“O processo não é só por causa do apelido Anabelle. Fui chamada de homofóbica. Disseram que eu sou rica sustentada pelo pai, político rico. Falaram que eu tinha que morrer, disseminaram fake news. O ex-marido da ‘outra’ (o ex de Pesssoa, o cantor D’Black) colocou nas redes sociais dele e dela um vídeo manipulado. Tanto que a Record teve que intervir e mostrar o vídeo na íntegra. Então, não foi só por causa do apelido”, relatou Renault.

Após a divulgação do caso, Renault ainda discutiu com o apresentador Britto Jr. no Twitter. Comentando o processo, Britto disse quem aceita participar de um reality show não deveria reclamar de ofensas e palavrões. A ex-peoa rebateu:

“Por que?! Quem participa de reality show está acima ou abaixo da lei? Vai culpar a vítima por se expor na TV? Com todo o respeito, tentar ressurgir na mídia escorado em preconceito não foi uma boa estratégia. Fim de carreira, hein colega?!”, disparou Renault.

Britto respondeu:

“Primeiro, eu não sou seu colega. Segundo, você fala muita besteira. Terceiro, a justiça está aí pra isso. Quarto, você não aprendeu nada após suas participações. Quinto, olha só quem está falando”.

Fonte: Extra

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *