Com diferença de apenas 4 minutos, casal morre por complicações da Covid-19 em Goiânia, diz família

Eurides e Avelina Cunha, de 75 e 68 anos, moravam em Iporá, mas estavam internados em hospitais diferentes da capital. Nora diz que ambos tiveram pneumonia: 'Um foi buscar o outro'.

Reprodução

Eurides e Avelina Cunha, de 75 e 68 anos, moravam em Iporá, mas estavam internados em hospitais diferentes de Goiânia

Um casal de idosos que estava internado em hospitais diferentes morreu na noite de quinta-feira (13), em Goiânia. De acordo com a família, Eurides Cândido da Cunha, 75 anos, e Avelina de Queiroz Cunha, 68, morreram em um intervalo de apenas 4 minutos um para o outro, em decorrência de complicações causadas pela Covid-19.

O casal vivia em Iporá, região oeste de Goiás, onde também será sepultado na tarde desta sexta-feira (14). Eurides, conhecido como Oridão, tinha um escritório de compra e venda de gado. Já Avelina era professora aposentada. Bastante conhecidos no município, eles eram casados há 43 anos e deixam dois filhos e dois netos.

A prefeitura de Iporá publicou uma mensagem de pesar nas redes sociais, dizendo que se solidariza com a família. A Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO) e a subseção de Iporá também emitiram nota e lamentaram a morte do casal, uma vez que eles eram pais de uma advogada.

Prefeitura publicou nota de pesar sobre a morte do casal — Foto: Reprodução/Facebook

Prefeitura publicou nota de pesar sobre a morte do casal — Foto: Reprodução/Facebook

De acordo com a design de interiores Flaviana Lourenço Rabelo, nora do casal, ambos contraíram coronavírus e foram internados no mesmo hospital, em Goiânia. Ela não soube precisar a data, mas disse que eles precisam ser hospitalizados há mais de duas semanas.

Flaviana explicou que Oridão melhorou e teve alta. Porém, após cinco dias em casa, ele voltou a passar mal e foi internado, desta vez em outra unidade de saúde.

“Minha sogra morreu primeiro. Quatro minutos depois, em outro hospital, ele morreu. A gente entende que um foi buscar o outro, até porque acreditamos que não conseguiriam viver sozinhos. Estão todos muito arrasados”, disse ao G1.

A design de interiores disse que vários outros parentes, inclusive ela, testaram positivo para o coronavírus, mas que ninguém apresentou sintomas graves como os sogros.

“Os dois tiveram pneumonia. Por causa da Covid, o pulmão dos dois acabou enfraquecendo”, lamenta a nora.

Fonte: G1 Goiás

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *