Ministro da Justiça, André Mendonça, é diagnosticado com Covid-19

André Mendonça é o 13º ministro do governo Bolsonaro a ser infectado. Segundo assessoria, Mendonça 'está bem' e ficará em isolamento nas próximas semanas.

André Mendonça em imagem de agosto — Foto: GloboNews/ Reprodução

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, está com Covid-19. A informação foi divulgada pela assessoria do ministério nesta terça-feira (24).

Segundo a equipe da pasta, Mendonça “está bem e permanecerá em isolamento em casa nas próximas semanas”.

Com o anúncio, chega a 13 o número de ministros do governo Jair Bolsonaro que receberam diagnóstico positivo da infecção. O presidente e a primeira-dama, Michelle, também tiveram o vírus.

Além de Mendonça, foram infectados:

– Eduardo Pazuello (Saúde)
– Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo)
– Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)
– Bento Albuquerque (Minas e Energia)
– Milton Ribeiro (Educação)
– Onyx Lorenzoni (Cidadania)
– Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações)
– Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União)
– Braga Netto (Casa Civil)
– Jorge Oliveira (Secretaria-Geral)
– Marcelo Álvaro Antônio (Turismo)
– Fábio Faria (Comunicações)

Em setembro, Mendonça foi internado para exames médicos depois de um mal-estar durante a madrugada. Ele foi diagnosticado na oportunidade com “miocardite aguda, inflamação do músculo do coração desencadeada, na maioria das vezes, por um processo viral”.

O ministro chegou a passar por um cateterismo, porém a suspeita de infarto foi descartada.

Segunda onda

Pesquisadores brasileiros divulgaram na segunda-feira (23) um estudo que alerta para o que eles identificaram como o começo da segunda onda da pandemia no país. O estudo traz a assinatura de seis especialistas, de cinco universidades e institutos de pesquisas.

Com base nos números de casos e de mortes do Ministério da Saúde, eles concluíram que o pico da doença, no Brasil, se deu nos meses de julho a setembro. Depois disso, houve uma queda que durou até o início de novembro.

Especialistas alertam para o que consideram o começo da segunda onda da pandemia

O estudo afirma que “a situação no Brasil se deteriorou fortemente nas últimas duas semanas, e o início de uma segunda onda de crescimento de casos já é evidente em quase todos os estados, de forma particularmente preocupante nas regiões mais populosas do país”.

Além dos números de casos e mortes, os pesquisadores levaram em conta outros indicadores, como a taxa de transmissão da Covid-19, chamada Taxa R. O ideal é que ela fique abaixo de 1, mas em praticamente todos os estados a taxa está acima de 1,1. No Paraná, por exemplo, a Taxa R está em 1,5. Teoricamente, isso significa que cem pessoas infectadas transmitem o vírus para outras 150.

Segundo os pesquisadores, o indicativo de que o Brasil está retomando o aumento de casos de contaminação e de morte coincide com o relaxamento de medidas de isolamento social, dando a falsa sensação de que o pior já passou.

Fonte: G1

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *