Cantora alagoana LLARI lança álbum homônimo com produção de Donatinho e inspirações afro-brasileiras

Tranquilo, composição de Wado, Pedro Soares, Donatinho e a própria cantora, é carro-chefe do disco e ganha clipe em breve

Divulgação

Para o seu álbum de estreia, a cantora e compositora alagoana LLARI (@llari.oficial) deixou seu coração falar mais alto. Com produção de Donatinho, filho de João Donato, o projeto reverencia a música negra e é guiado, do começo ao fim, por uma narrativa pop marcada pelo reggaeton, carimbó, samba, R&B e funaná. Já disponível para audição em todas as plataformas digitais, o disco homônimo contém 5 faixas que convidam todo mundo a dançar. “Tranquilo” é a canção carro-chefe, atual single e terá clipe lançado nas próximas semanas.

“Foi difícil escolher uma música favorita, mas essa é a que mais se conecta com a minha essência. Tranquilo fala sobre meus pensamentos e sobre o grave que é uma particularidade da minha voz. Tranquilo é uma revolução e traz o coco de roda como inspiração de ritmo”, explica a cantora. O clipe já está em processo de pré-produção e vai suceder “Tara” (https://www.youtube.com/watch?v=YiQtGkL6xGw).

Composição de Wado, Pedro Soares, Donatinho e a própria LLARI, a canção reforça a rítmica apimentada advinda da mistura de afropop, reggaeton e coco de roda. “Nessa música, estamos chamando essa mistura África/Brasil de Cocoton, que seria o reggaeton com o coco de roda. Quem ouvir vai entender bem.” Não dá para negar, a música possui todos os elementos de um mega hit: linguagem descontraída, feliz, beats maduros e um refrão daqueles que gruda. Prepare-se para o repeat.

Para refletir, dançar e cantar, esse trabalho é o que de mais original e plural LLARI fez em sua trajetória até aqui. Segundo ela, um abraço forte e apertado em suas origens. “Anteriormente eu estava cantando músicas internacionais, investindo nessa vertente americana mesmo. Agora eu venho com as raízes africanas e brasileiras. Houve um cuidado especial nesse processo. Da postura a o que eu visto, tudo está coerente. Sou eu, de fato, em cada acorde, swing e palavra cantada.”

Com influências de Djavan, Mayra Andrade, Luedji Luna, Gal Costa, Maria Bethânia e, sobretudo, os ritmos folclóricos de Alagoas, o álbum LLARI traz diversas composições, parcerias e participações especiais. Na lista, Manoel Cordeiro e Natália Matos, do Pará, Hélio Ramalho, do Cabo Verde, Davi Moraes, do Rio de Janeiro, Wado, Alvinho Cabral, Junior Bragazion e Pedro Soares, todos conterrâneos da cantora, além do próprio carioca Donatinho.

“O registro mais antigo que eu consigo acessar na memória tem eu cantando no karaokê da família, aos 9 anos de idade. Tanto tempo se passou desde então. É uma honra imensa ter tanta gente bacana e talentosa comigo nessa nova fase”, revela.

Sobre suor, empatia, corpos e amor. O disco é um convite à celebração da vida e seus encontros.

Ouça agora em https://ditto.fm/llari

Fonte: Assessoria

Veja Mais

Festival Alagadiças

Com muito pioneirismo e criatividade o Festival Alagadiças reúne a força de várias mulheres alagoanas incríveis para brindar o público...

Deixe um comentário