Policial preso alega que estava a serviço da Delegacia de Satuba

O agente da Polícia Civil, Gilvan Oliveira de Melo, 44, detido na noite de ontem com uma Parati de placa fria, foi liberado – agora a pouco – após prestar depoimento ao delegado plantonista Valdor Lou Coimbra.

De acordo com o chefe-de-expediente Themildo Duarte das Trevas, o policial civil alegou que estava em uma investigação sigilosa da Delegacia Regional de Satuba, no momento em que foi preso pela Polícia Militar. A necessidade da placa fria – segundo Themildo Duarte – era para que o policial não pudesse ser identificado durante a operação.

Indagado sobre qual seria a operação, Themildo Duarte, diz que se tratava de investigações da delegacia de Satuba a respeito dos crimes de pistolagem que vem acontecendo no município. Em todo caso, o uso da placa fria, como mecanismo de disfarce, não foi comunicado a Secretaria de Defesa Social

O chefe-de-expediente diz ainda que todas as informações sobre a placa da Parati de Gilvan de Melo (MUP 9356/AL) foram puxadas. O carro não é roubado e pertence de fato ao Polícia Civil, bem como está – segundo Themildo Duarte – com o IPVA em dia.

Veja Mais

Deixe um comentário