Acusado de matar professor culpa amigo pelo crime e diz que motivação foi assédio

PC/SP

Cleber Junior foi preso em Santos (SP)

O segundo suspeito no assassinato do professor e suplente de vereador Valdiele de Araújo da Silva Rocha, Cleber José de Souza Braga Junior disse, em entrevista ao jornal A Tribuna Santos, que o crime foi cometido pelo amigo, Wallaph Magno Almeida de Souza, 25 anos, com quem estava na casa do professor.

O suspeito, que foi preso por policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos, apresentou uma versão diferente de Wallaph. Ele conta que estava consumindo bebida alcoólica no posto de combustíveis junto com o amigo, quando o professor chegou e os convidou para continuar bebendo em sua casa. Segundo Cleber, apesar de não o conhecerem, aceitaram o convite.

Já na casa do professor Valdiele, depois de terem bebido vodka, Cleber conta que foi tomar banho e quando voltou se deparou com o professor morto. “Na hora que eu voltei ele estava com a faca no pescoço do professor. Ele tirou a faca e cravou de novo”, conta friamente.

Quando questionado sobre qual a motivação do crime ele alega que foi assédio. “Isso aconteceu porque o professor tinha dado em cima dele e pegou nas suas partes íntimas. Ele não gostou e fez isso”.

Depois de cometer o crime ele e Wallaph teriam deixado a residência no carro de Valdiele e depois ateado fogo para indicar latrocínio. Cleber alega também que foi ameaçado pelo amigo e decidiu fugir para a casa dos tios, em Praia Grande (SP), dois dias depois do crime. “Ele me disse que se eu fosse pego primeiro e o entregasse ele me mataria”, ressalta.

O acusado confessa que já foi preso por tráfico de drogas e quando menor, respondeu por ato infracional análogo à porte ilegal de arma de fogo. Ao retornar para Alagoas ele disse que vai encarar Wallaph para contestar a versão na qual é apontado como autor material do crime. Leia Mais.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *