Líder de quadrilha recebia pensão por amputação, mas não possui deficiência

Ascom PF/AL

Suspeito fingia deficiência para receber benefício de R$ 6 mil

A Polícia Federal informou que o homem apontado como o líder da organização criminosa que fraudava documentos e subornava servidores para obtenção de benefícios como Loas e pensões por morte recebe aposentadoria por invalidez no valor de R$ 6 mil, mesmo sem apresentar nenhuma deficiência.

Segundo a PF, a quadrilha vinha atuando há vários anos, inclusive concedendo pensões por morte a falsos cônjuges, ou seja, os beneficiários sequer conheciam o morto. Esses e outros casos resultaram na operação deflagrada nesta quinta (12) em Maceió e Marechal Deodoro.

Foram expedidos 14 mandados de prisão e 20 mandados de busca e apreensão. A Polícia Federal de Alagoas divulgou fotos e vídeos da residência de um dos presos que dão uma mostra do patrimônio constituído com as fraudes.

Foram identificados 80 benefícios previdenciários que efetivamente vinham sendo recebidos pela organização criminosa, o que proporcionava uma retirada mensal de mais de R$ 160 mil. Esses benefícios serão cassados imediatamente por ordem da 1ª Vara Federal. Outros 193 benefícios serão bloqueados por determinação judicial e auditados pelo INSS, em razão das fortíssimas suspeitas de que também são indevidos.

Ao todo, 13 prisões foram efetivadas até o final da manhã e 20 mandados de busca e apreensão cumpridos. As investigações tiveram início em junho deste ano. A PF já constatou o desvio de R$ 9 milhões.

 

 

Veja Mais

1 comentário

  • marcio silva says:

    não há como se aplicar um golpe vultoso, como fora esse, sem a participação ou, no mínimo, sem a omissão de servidores públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *