Ayres confirma que Governo irá fornecer seringas e agulhas ao município de Maceió

João Urtiga/Alagoas 24 Horas

Secretário de Saúde, Alexandre Ayres

Em visita ao prédio do Plano Nacional de Imunização (PNI) em Alagoas, o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, afirmou em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (13), que o governo estadual fornecerá seringas e agulhas para todos os municípios que não possuem os insumos, incluindo Maceió.

De acordo com Ayres, o secrétario Municipal de Saúde da capital alagoana, Pedro Madeiro, enviou um ofício solicitando apoio estadual para seringas e agulhas. “Temos em torno de 1,25 milhão de seringas e agulhas e mais em trânsito para reforçar nossa vacinação. Maceió, por exemplo, o secretário Pedro Madeiro, nos enviou um ofício porque a capital não tem seringas. Então, o governador autorizou que a gente cubra toda a necessidade de Maceió e de todos os municípios alagoanos. O Estado tem condição para todos os municípios que não têm seringas, nós adquirirmos para todo mundo”, afirmou Ayres.

NOVA MUDANÇA

Após ter anunciado a chegada da vacina da AstraZeneca/Fiocruz para o final de janeiro, o governador Renan Filho (MDB) afirmou na manhã de hoje que o Ministério da Saúde mudou novamente a previsão de chegada do imunizante.

“Ontem o Ministério da Saúde postergou o prazo, pediram mais alguns dias para liberação total da Anvisa, o que deve acontecer no início de fevereiro. A gente espera que o maior número de pessoas sejam vacinadas”, pontuou.

O governador de Alagoas criticou o ministro da Saúde, Eduardo Pazzuello, por não ser transparente quanto ao exato dia do início da vacinação.

“O ministro tem algumas dúvidas com relação às datas e ao invés de dizer, ele fica postergando. Eles nos disseram que mandaria a AstraZeneca e hoje ja mudou a data. É melhor ser transparente e franco com a nação. O que precisamos saber é quando será o Dia D e a Hora H que ele falou. Ele não tem a precisão e deveria dizer. Algumas vacinas devem ser aprovadas até domingo. Se eu estivesse no lugar dele, eu diria que a gente começaria após a Anvisa anunciar a aprovação. Temos que começar o quanto antes para que a gente veja cair o número de mortes e de internações hospitalares. Depois vacinar toda a população”, disparou Renan Filho.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *