Sem-terra denunciam agressões à SDS

Uma comissão de trabalhadores do Movimento Terra Trabalho e Liberdade (MTL) do acampamento Bernardo, em Murici, está reunida, neste momento, com o secretário de Defesa Social, Ronaldo dos Santos, para discutir as providências quanto ao atentado, ocorrido na madrugada de hoje, que vitimou pelo menos seis trabalhadores.

Segundo o coordenador estadual do movimento, Rafael Sírio, o episódio aconteceu por volta das duas horas da manhã, quando um grupo de aproximadamente 80 homens, em cerca de 20 veículos invadiram o acampamento Bernardo, onde vivem atualmente 29 famílias ligadas ao MTL e destruíram os barracos, queimando seus pertences e espancando alguns trabalhadores.

Rafael conta que o problema começou à tarde, quando alguns sem-terra foram presos e ameaçados de morte, caso não desocupassem a área. “O terror maior aconteceu na madrugada, quando os capangas destruíram tudo e espancaram os companheiros do acampamento. Pelo menos vinte desses, estavam encapuzados, o que nos leva a crer que são pessoas conhecidas da região. Alguns estavam de botas e tinham jeito de militares porque se referiam a um deles como major”, denuncia Rafael.

Hoje pela manhã, as famílias do acampamento realizaram uma manifestação pacífica na cidade de Murici para cobrar das autoridades, medidas emergenciais contra os agressores. No final da manhã, os coordenadores do movimento decidiram procurar a Secretaria de Defesa Social para tentar solucionar os problemas da violência no local.

Veja Mais

Deixe um comentário